Artigo

Vencedores Prémios Sirius 2013

Press Release

Com interesse

E os vencedores dos Prémios Sirius 2013 são…


  • O BIC, a Sonangol E.P. e o BFA, são os vencedores nas categorias “Empresa do Ano no Sector Financeiro”, “Empresa do Ano no Sector não Financeiro” e “Melhor Relatório de Gestão e Contas”, respectivamente;
  • Nos prémios individuais, Carlos Silva e António Mosquito são os vencedores nas categorias “Melhor Gestor do Ano” e “Melhor Empreendedor do Ano”;
  • Os vencedores dos prémios “Melhor Programa de Responsabilidade Social” e “Melhor Programa de Desenvolvimento do Capital Humano” são a Chevron e o BAI;
  • O prémio para o “Melhor Programa de Educação Financeira no Sector Bancário”, instituído pela primeira vez, foi atribuído ao Banco BPC.

Luanda, 2 de Dezembro de 2013 – A Deloitte voltou a distinguir a excelência e o talento angolano na 3ª edição dos Prémios Sirius, cuja Gala de Entrega de Prémios decorreu no passado dia 28 de Novembro, no Hotel Epic Sana. Os bons exemplos e as melhores práticas voltaram a brilhar em 2013 e a confirmar a importância de uma iniciativa que homenageia a excelência e o contributo para o progresso e crescimento.

Rui Santos Silva, Country Managing Partner da Deloitte, saudou “os nomeados e a comunidade empresarial com quem estes se relacionam, que são os protagonistas desta 3ª edição dos Prémios Sirius. Ao estarem aqui hoje estão já de parabéns, porque os seus desempenhos são, inequivocamente, exemplares. São eles os actores e os responsáveis pelo progresso e promoção da economia do país. São agentes da mudança e construtores do futuro. São os responsáveis por tornarem Angola um País cada vez mais competitivo, assegurando o seu crescimento, no caminho do sucesso”, conclui Rui Santos Silva.

Na sua mensagem de abertura o Presidente do Júri, Professor Doutor Manuel Nunes Júnior, reiterou o papel dos Prémios Sirius ao “premiar a excelência das empresas e dos actores que, no dia-a-dia, fazem crescer a economia angolana e que, por esta via, contribuem para a melhoria do bem-estar das populações.”

As reacções dos galardoados foram de agradecimento e reconhecimento, manifestando o compromisso com a manutenção contínua da excelência, da ética empresarial e de negócio, mantendo a preocupação com a componente humana e social.

O Júri, presidido pelo Professor Doutor Manuel Nunes Júnior e composto pelo Dr. José Severino, Dr. Manuel Alves Monteiro, Dr. Henda Inglês, Dra. Vera Daves e pela Professora Doutora Laurinda Hoygaard, decidiu distinguir as seguintes entidades e personalidades em cada uma das oito categorias:

  • Prémio “Melhor Programa de Educação Financeira no Sector Bancário”: BPC

Trata-se de uma nova categoria, criada para esta 3ª edição dos Prémios Sirius e tem como propósito distinguir as instituições bancárias que mais tenham contribuído para a literacia financeira e bancária da sociedade angolana. Após deliberação do júri, foi atribuído ao BPC.

Para Paixão António Júnior, Presidente do Conselho de Administração, “os trabalhadores do banco, que compõem a família BPC, estão eternamente gratos pela atribuição desta distinção. Trata-se de um prémio do colectivo, dos trabalhadores e dos nossos clientes. Todos contribuíram para ele. É um prémio à determinação, à persistência e, sobretudo, à nossa humildade”.

Estavam nomeados para esta categoria o Banco Keve, Banco SOL, BFA - Banco de Fomento de Angola, BIC - Banco Internacional de Crédito, BMF - Banco BAI Micro Finanças, BPA - Banco Privado Atlântico e BPC - Banco de Poupança e Crédito.

  • Prémio “Melhor Programa de Responsabilidade Social”: Chevron

Clay Neff, Manager Asset Development, presente no evento em representação do Presidente da Chevron em Angola, agradeceu a distinção referindo que o prémio “é um crédito aos nossos empregados. Estamos em Angola há 60 anos e sempre estivemos próximos das comunidades em que nos inserimos”.

Para o General Manager de Human Resources da Chevron, Cesaltino Pedro, a atribuição do Prémio “é o reconhecimento da nossa obra social em Angola. Reafirmamos o nosso compromisso de contribuir para o bem-estar das comunidades com que convivemos no nosso dia-a-dia”.

A esta categoria concorriam o Banco Sol, BESA - Banco Espírito Santo de Angola, BPA - Banco Privado Atlântico, Chevron - Cabinda Gulf Oil Company, Endiama - Fundação Brilhante, ENSA - Seguros de Angola, Odebrecht Angola, Refriango - Indústria e Comércio Geral, Sociedade Mineira de Catoca e Sonangol E.P.

  • Prémio “Melhor Programa de Desenvolvimento do Capital Humano”: BAI

O prémio foi recebido por uma equipa de Administradores Executivos do BAI: João da Fonseca, Noelma Viegas D'Abreu e Simão Francisco Fonseca. Nesta ocasião a equipa partilhou: “Queremos agradecer à organização e à administração do BAI e recordar que estamos na fase de materialização de um sonho do antigo líder do Banco Angolano de Investimentos”. Acrescentando ainda, em relação ao prémio atribuído, que se trata de “um projecto que tem o intuito de alargar a formação e contribuir para o desenvolvimento da educação em áreas de cultura, cinema moda e artes”.

Os nomeados incluíam o BAI - Banco Angolano de Investimentos, BP - British Petroleum, BPA - Banco Privado Atlântico, BPC - Banco de Poupança e Crédito, Chevron - Cabinda Gulf Oil Company, ENSA - Seguros de Angola, ESSO, Odebrecht Angola, Sonangol E.P. e TOTAL.

  • Prémio “Empresa do Ano no Sector Não Financeiro”: Sonangol E.P.

Já para Fernando Roberto Administrador da Sonangol, a atribuição do Prémio para “Empresa do Ano no Sector não Financeiro”, “impele-nos para a monitorização da qualidade e a manter em permanência esse desafio. É também um prémio para os trabalhadores e um compromisso para com a nossa sociedade e o nosso accionista: a manutenção da qualidade”.

Da lista de nomeados faziam parte a Bongani Investments & Consultants, Cosal - Comércio e serviços de Angola, Cuca - BGI, GAM - Grupo António Mosquito, Grupo Genius, Grupo GEMA, Movicel, PTF - Projecto Terras do Futuro, Pumangol, Refriango, SISTEC - Sistemas, Tecnologias e Indústria, Sociedade Mineira de Catoca, Socolil - Sociedade Comercial Lizena, Sonangol E.P., Unitel, Vidrul - Vidreira de Angola, Grupo Zahara e Kero.

  • Prémio “Empresa do Ano no Sector Financeiro”: BIC

“Quero agradecer aos 1.900 trabalhadores do BIC, em Angola, e aos menos de um por cento repartidos por Portugal, Cabo Verde e Brasil. O prémio foi construído e ganho por todos”, disse Fernando Teles, Presidente do Conselho de Administração.

Os nomeados para esta categoria incluíam a Mundial Seguros, BAI - Banco Angolano de Investimentos, Banco Millennium Angola, BFA - Banco de Fomento Angola, BIC - Banco Internacional de Crédito, BNI - Banco de Negócios Internacional e ENSA - Seguros de Angola.

  • Prémio “Melhor Relatório de Gestão e Contas”: BFA

“Temos pela frente muitos desafios para abordar, no sector petrolífero, seguros e outras áreas”, começou por dizer Emídio Pinheiro, Presidente da Comissão Executiva, para quem “este prémio é um motivo de orgulho para todos os trabalhadores do Banco de Fomento de Angola”.

Estavam indicados para este prémio o BAI - Banco Angolano de Investimentos, Banco Millennium Angola, Banco Keve, Banco Sol, BFA - Banco de Fomento de Angola, BIC - Banco Internacional de Crédito, BNI - Banco de Negócios Internacional, BPA - Banco Privado Atlântico, BPC - Banco de Poupança e Crédito, ENSA - Seguros de Angola, Sociedade Mineira de Catoca, Sonangol E.P., TAAG - linhas Aéreas de Angola e TPA - Televisão Pública de Angola.

  • Prémio “Melhor Empreendedor do Ano”: António Mosquito

Receberam o prémio os três filhos de António Mosquito: Joana Mosquito, José Mosquito e Horácio Mosquito, que partilharam: “falar do meu pai é muito emocionante. É uma pessoa que desde muito jovem tinha um grupo também jovem a trabalhar para ele. São histórias que se devem escrever para ficar na memória”.

Da lista de nomeados faziam parte Agostinho Kapaia (Opaia), António Mosquito (GAM), Bartolomeu Dias (Grupo Bartolomeu Dias), Carla Fátima Diogo (Cafago), Elias Piedoso Chimuco (Chicoil), Eugénio Neto (GLS Holding), João Jardim (Angolaves), Leonor Carrinho (LC&F), Maria do Carmo Nascimento (FME) e Teddy Almeida (Bongani Investments).

  • Prémio “Melhor Gestor do Ano”: Carlos Silva

Carlos Silva, Presidente do Conselho de Administração do BPA, realça que, “na gestão, somos avaliados pelos resultados. No fim do dia, somos avaliados pelo desempenho que apresentamos aos nossos stakeholders. Quero agradecer aos trabalhadores e colegas do banco a atribuição deste prémio.”

“Nesta noite de acção de graças quero também agradecer às famílias e em especial à minha família”, concluiu carlos Silva.

Concorriam a esta categoria Carlos Silva (BPA), Francisco Lemos José Maria (Sonangol), José Patrício (Genius), Manuel Gonçalves (ENSA), Manuel Monteiro (Ferti), Mário Barber (BAI), Rui Cruz (IMOGESTIN), Rui Santos (Sistec).

Excelência também na Cultura

O talento foi também reconhecido além da comunidade empresarial. Esta presença foi marcada na fotografia, escultura, música, e design/moda.

Desde logo, através da exposição “10 Fotógrafos | 10 Visões”, em que 10 fotógrafos apresentam a sua visão pessoal do crescimento da economia nacional.

Adalberto Gourgel, Bruno Caratão, Hindyra Mateta, Hugo Salvaterra, Kamene M. Traça, Kharlos Scesar, Luaty Almeida, Nelson Silvestre, Sérgio Afonso e Walter Fernandes, retratam essa visão através da escolha de uma fotografia dos respectivos portefólios.

Na escultura, Etona, considerado um dos embaixadores da arte angolana e reconhecido pelo mundo artístico internacional, marcou a sua presença com as peças “Yombe”, “Rabugento”, “Miss” e “Força da Mulher”. Etona frequentou diversos ateliers de artesanato e pintura, mas é na escultura que se tem especializado, com um trabalho inédito produzido a partir de troncos maciços de árvores.

A música esteve representada por N’Soki. É uma das vozes mais novas da música angolana. N’Soki cresceu dividida entre Cuba e os Estados Unidos da América. A paixão pela música começou com o canto coral, mas actualmente sente-se inspirada pelos vários estilos musicais. 2013 assinala o lançamento do seu primeiro álbum musical.

A grande distinção ficou reservada para Nadir Tati, que subiu ao palco para receber o reconhecimento atribuído pelo Júri “pela excelência no trabalho que realiza e pela forma como desenvolve o seu talento”. Nadir Tati foi apresentada muito jovem, como modelo, ao mundo da moda. Hoje é a mais internacional dos estilistas angolanos. Trabalha também como consultora de moda. Tem presença assídua em desfiles internacionais e o seu trabalho tem sido apresentado e reconhecido pela comunidade internacional. Recebeu por diversas vezes o prémio de “Melhor Designer do Ano”.

Com esta iniciativa, a Deloitte lança o desafio para que os artistas, designers e demais agentes culturais angolanos façam mais e melhor em busca da excelência.

Para mais informação, contactar:

Gabinete de Imprensa - Prémios Sirius

premios.sirius.imprensa@gmail.com

+244 927 555 409

Did you find this useful?