Insights

Editorial

Prémios Sirius 2016

Mensagem editorial do Presidente do Júri dos Prémios Sirius, o Prof. Doutor Manuel Nunes Júnior, que partilha as motivações que estão por detrás deste trabalho que vem sido desenvolvido com todo o rigor e excelência.

Consulte aqui a mensagem na íntegra.

A sexta edição dos Prémios SIRIUS ocorre num momento de particular importância para o país.

Desde que Angola obteve a paz em 2002, o país soube encontrar um caminho de pacificação, de inclusão social e um ambiente favorável à implementação de importantes reformas. A partir dessa altura Angola passou a experimentar uma era de forte desenvolvimento, com repercussões positivas ao nível social, económico e cultural. Recentemente, o enquadramento macro-económico internacional tem observado uma evolução instável o que conduziu a uma revisão em baixa do crescimento do PIB mundial e a uma geral hesitação da economia europeia, com efeitos negativos na economia nacional.

Neste quadro, a qualidade do desempenho das empresas, dos investidores e dos gestores nacionais, bem como, da generalidade dos agentes económicos mais comprometidos com a economia do país, assume um papel decisivo. Destes agentes depende o lançamento de novos projectos e a consolidação dos já existentes e, com isso, a manutenção e a criação de novos postos de trabalho, a modernização da economia e a geração de riqueza e a elevação dos índices de bem-estar social do país.

Este esforço, porém, assenta na existência de visão estratégica, trabalho árduo, conhecimento, talento e adopção de práticas que obedeçam a princípios de rigor, qualidade e transparência, por forma a que se fomente uma cultura de excelência na qualidade dos investimentos, na forma como as organizações são geridas e na atitude em geral dos gestores, quadros superiores e trabalhadores.

Os Prémios SIRIUS vêm precisamente preencher um papel de grande relevo na divulgação nacional destas boas práticas de gestão das empresas, na produção e divulgação de informação relevante sobre a sua atuação e na forma como investidores e gestores colocam as empresas ao serviço da criação de riqueza acionista e da valorização das comunidades em que se inserem.

A Deloitte, enquanto entidade organizadora dos Prémios SIRIUS, e o Júri, entenderam criar nesta sexta edição um novo Prémio, dirigido à vertente exportadora da economia, pretendendo-se com ele distinguir uma empresa nacional que, exportando produtos ou serviços, contribua de uma forma positiva para o esforço de equilíbrio da balança comercial do país.

Sabemos todos bem o que significa este esforço, seja ao nível da criação de um quadro legal, administrativo e operacional favorável à exportação de bens ou serviços, sejam ao nível da adopção de boas práticas tendentes a acomodarem as exigências dos mercados de destino. Sabemos, igualmente, que este desafio de transformar uma economia tradicionalmente não exportadora numa economia competitiva, concorrencial e aceite no quadro internacional, exige conhecimento, talento e investimento, para além da adopção de políticas que contribuam para um “ecossistema” favorável à exportação.

À prioridade que é dada a diversificação sectorial urge, deste modo, acrescentar a diversificação dos mercados de destino dos bens e serviços produzidos e prestados pelas empresas nacionais.

Este desafio terá de ser encarado por todos nós, uma vez que a tarefa é plurifacetada e complexa. Desde logo, através da criação de um quadro legislativo cada vez mais favorável ao investimento, a inovação e a desburocratização, dentre outros. Por outro lado, pelo estímulo à melhoria da qualidade do sistema de ensino nacional, por forma a que os quadros técnicos angolanos tenham melhor formação e as empresas possam aceder a mão-de-obra local qualificada. Adicionalmente, pela organização de parcerias com empresas internacionais com know-how e acesso a mercados externos, única forma de acelerar o processo de internacionalização da economia. Finalmente, pela criação de um quadro favorável ao financiamento de unidades produtivas capazes de se afirmarem pela qualidade dos seus produtos em mercados que, na boa parte dos casos, são mais sofisticados, concorrenciais e exigentes.

Os Prémios de 2016 serão, estamos seguros, mais uma excelente oportunidade para o desenvolvimento de uma cultura empresarial de excelência e de um caminho virtuoso de criação de riqueza, capaz de melhor contribuir para a geração de bem-estar social para as gerações vindouras.

Setembro de 2016

 

Manuel Nunes Júnior

Presidente do Júri dos Prémios SIRIUS

Did you find this useful?