Artigo

Deloitte realiza evento dedicado ao sector bancário

Press Release

Encontro serve de mote ao lançamento do Observatório para a Inclusão Financeira e divulgação da 8ª edição do Estudo Banca em Análise.

Com interesse

Luanda, 28 de Outubro de 2013 – A Deloitte Angola realizou na passada quinta-feira, dia 24 de Outubro, no Hotel Epic Sana, um grande evento dedicado ao sector bancário, no qual divulgou a 8ª edição do Estudo Banca em Análise 2013, uma iniciativa anual baseada numa análise profunda ao sector da Banca, e que resulta da compilação da informação pública disponibilizada pelos bancos que actuam no mercado angolano e pelo Banco Nacional de Angola (BNA).

Em resultado da experiência acumulada nas edições anteriores, e fruto do desafio sentido pelos próprios agentes do mercado, o encontro serviu igualmente para o lançamento do Observatório de Inclusão Financeira, uma plataforma de diálogo e cooperação entre todas as entidades interessadas (agentes económicos, órgãos reguladores, instituições financeiras e sociedade civil) no processo de inclusão da população num sistema financeiro acessível e transparente.

O evento contou com a presença de Sua Excelência, o Senhor Ministro das Finanças, Dr. Armando Manuel, que honrou os presentes com a abertura da sessão, onde reconheceu a importância estratégia que o sector bancário tem para a economia nacional. Sua Excelência, o Senhor Ministro das Finanças, afirmou no seu discurso oficial “Quero reafirmar a integral confiança do Ministério das Finanças na crença irremovível de que a solidez da Banca é importante para a Nação e que, reciprocamente, a Banca confia no êxito das Políticas Públicas, apoiando a sua execução na forma da lei e em conformidade com as melhores práticas de governação macroeconómica e de gestão fiscal responsável. Manifesto, por isso, a firme intenção do Ministério das Finanças em manter um diálogo aberto e permanente com a Banca, alimentando uma interacção responsável entre as duas esferas das finanças nacionais – a pública e a privada – e assim garantindo à economia nacional os benefícios de uma intermediação financeira saudável e proactiva”.

Marcou igualmente presença o Senhor Governador do Banco Nacional de Angola, Dr. José de Lima Massano que fez uma intervenção sobre a “Potenciação do crédito em Angola”, considerado um dos instrumentos capazes de promover o crescimento mais acentuado do sector privado não mineral, criar postos de trabalho e melhorar os padrões de vida no País.

Nesta ocasião José de Lima Massano referiu que se impõe “a necessidade de um processo mais dinâmico, eficiente e seguro de concessão de crédito, pelo que foi entendimento recente das autoridades nacionais, a criação de uma comissão de trabalho coordenada pelo Ministério da Economia, para cuidar da atenuação dos constrangimentos identificados e cuja resolução compete, em primeira instância, aos Órgãos da Administração do Estado”.

O Senhor Governador do Banco Nacional de Angola reforçou ainda que “do nosso lado, e complementarmente, continuaremos a ajustar a regulamentação visando a melhoria da qualidade e gestão do risco de crédito e o estabelecimento de relações mais justas e transparentes entre credores e mutuários. Revisitaremos, as funcionalidades da Central de Risco de Crédito, procurando conferir maior agilidade no seu manuseio, mas também alargando o acesso a instituições de crédito não bancárias”.

Coube ao Senhor Vice-Governador do Banco Nacional de Angola, Dr. António André Lopes, o encerramento da sessão.

Na nota de acolhimento o Presidente da Deloitte Angola, Rui Santos Silva, reiterou a relevância desta iniciativa para a Deloitte e o sentido de responsabilidade com que a organização aceita o projecto, devolvendo ao mercado o conhecimento que acumula na experiência e interacção diária com os diversos agentes.

A apresentação da 8ª edição do Estudo Banca em Análise foi realizada por Nuno Alpendre, Partner da Deloitte responsável pela área de consultoria no sector financeiro em Angola. As grandes conclusões do estudo apontam o crescimento do crédito concedido a clientes de cerca de 26% e dos depósitos de clientes de cerca de 9% em 2012. Por outro lado verificou-se uma redução da rentabilidade dos bancos nacionais, em resultado de um menor crescimento do produto bancário, aliado a um acréscimo dos custos de exploração e das provisões para crédito concedido.

O evento serviu igualmente de mote para o lançamento do Observatório da Inclusão Financeira. Pedro Baptista, Associate Partner da Deloitte para o sector financeiro, apresentou a relevância desta iniciativa num contexto de promoção dos serviços financeiros enquanto impulsionadores da inclusão social, promovendo o acesso aos serviços bancários por toda a população. O projecto propõe-se envolver os agentes de mercado e monitorizar a evolução da inclusão financeira, sendo desejavelmente uma iniciativa na qual participam todos os agentes de mercado, e que cresce com a interacção e contributo dos mesmos.

Neste encontro a participação activa dos agentes do mercado foi feita numa mesa redonda moderada por Jaime Fidalgo, Director Executivo da Revista Exame Angola – media partner da Deloitte nesta iniciativa. Este painel contou com a participação do Dr. João Fonseca, Administrador Executivo do Banco Angolano de Investimento (BAI), Dr. Emídio Pinheiro, Presidente da Comissão Executiva do Banco Fomento de Angola (BFA), e o Dr. Rui Guerra, Presidente Executivo do Banco Espirito Santo Angola (BESA). Cada uma destas organizações partilhou a sua visão e experiência sobre os desafios da actividade financeira em geral e respectivas perspectivas de evolução, e sobre o tema da inclusão financeira em particular.
 

Banca em Análise | Os factos e os números | Síntese
 

  • Ao longo de 2012 a economia nacional continuou o seu processo de recuperação já iniciado em 2009;
  • Taxas positivas de crescimento do PIB (8,1% em 2012);
  • O número de cartões de crédito e débito vivos aumentou cerca de 16% em 2012;
  • No que concerne à rede de terminais, o número de Caixas Automáticos (ATM) e Terminais de Pagamento Automático (TPA), registaram um crescimento de 24% e 29% respectivamente;
  • O sector bancário registou uma taxa de crescimento dos depósitos de clientes de cerca de 9%, e do crédito concedido a clientes de 26%;
  • O produto bancário do sector bancário nacional aumento em 2012 para cerca de 350 mil milhões de kwanzas, o que representa um crescimento de 5% face a 2011;
  • Colocando em perspectiva o ano de 2013, o BNA divulgou já dados em que os depósitos e créditos apresentam um crescimento em Agosto de 9% e 5%, respectivamente.

Informações adicionais: 
Sílvia Morgado

Tel. +244 923 911 757

E-mail: 
silviamorgado@youngnetworkgroup.com

Condomínio Alpha, Casa 18, Talatona - Luanda

www.youngnetworkgroup.com

Sobre a Deloitte

 

“Deloitte” refere-se à Deloitte Touche Tohmatsu Limited, uma sociedade privada de responsabilidade limitada do Reino Unido, ou a uma ou mais entidades da sua rede de firmas membro, sendo cada uma delas uma entidade legal separada e independente. Para aceder à descrição detalhada da estrutura legal da Deloitte Touche Tohmatsu Limited e suas firmas membro consulte www.deloitte.com/pt/about.

A Deloitte presta serviços de auditoria, consultoria fiscal, consultoria, corporate finance a clientes nos mais diversos sectores de actividade. Com uma rede, globalmente ligada, de firmas membro, em mais de 150 países, a Deloitte combina competências de elevado nível com oferta de serviços qualificados, conferindo aos clientes o conhecimento que lhes permite abordar os desafios mais complexos dos seus negócios. Os cerca de 200.000 profissionais da Deloitte empenham-se continuamente para serem o padrão da excelência.

Did you find this useful?