Releases para imprensa

Os desafios para equilibrar o modelo de remuneração no cenário atual

Release para imprensa

Pesquisa Nacional de Remuneração e Tendências 2016, da Deloitte, aponta os desafios das empresas para conseguir manter estruturas de remuneração competitivas em um período de redução na atividade econômica.

A Pesquisa Nacional de Remuneração e Tendências 2016, elaborada pela Deloitte, aponta que, até o fim deste ano, 73% das empresas desenvolverão ações para revisão dos custos de Recursos Humanos, buscando mais eficiência e produtividade em meio aos novos desafios do cenário econômico.

Com 130 empresas entrevistadas nas regiões Sudeste, Centro Oeste, Sul, Norte e Nordeste, contemplando diversos segmentos do mercado, o estudo mostra ainda que 53% das empresas planejam implementar ações relacionadas à mudança em suas estruturas organizacionais e 43% objetivam implantar novas metodologias de desenvolvimento de profissionais, como treinamentos online. A tendência também é reduzir os gastos com a equipe e simplificar as ações sociais realizadas, ambas as práticas com 36% de retração.

Em relação aos salários, 76% dos atuais cargos não tiveram aumento real ou apresentaram queda no último ano. Chama atenção o fato de áreas relacionadas a Compliance e Gestão de Riscos terem registrado grande parte dos aumentos salariais do período. O cargo de gerente de risco apresenta, em média, salário 25% maior do que os demais gerentes pesquisados.

Os benefícios têm se mostrado uma ferramenta extremamente útil e flexível para a adaptação dos modelos de remuneração ao cenário atual. O benefício mais oferecido pelas companhias a seus colaboradores continua sendo a assistência médico-hospitalar. No Sudeste, 100% dos participantes oferecem este benefício. Na média entre as regiões, aparecem na sequência o estacionamento e o seguro de vida, conforme quadro abaixo:

Principais benefícios oferecidos pelas empresas em cada região brasileira (%)

Benefícios

Sudeste

Nordeste

Sul

Assistência Médico-Hospitalar

100

96

88

Estacionamento

86

85

80

Seguro de vida

88

86

67

Auxílio refeição

92

72

70

Auxílio alimentação

64

63

61

Creche

76

57

48

 

Em sua 25ª edição, a Pesquisa Nacional de Remuneração e Tendências 2016 traz ainda os seguintes destaques:

· Entre as áreas de Recursos Humanos que receberão investimento, um foco importante neste ano deverá ser Treinamento e Desenvolvimento (34%), refletindo a busca das empresas em obter capital humano mais especializado e capacitado. Visando maior produtividade, 27% dos pesquisados realizarão investimentos em Tecnologia de Informação.

· Em média, 1,25% do faturamento líquido das empresas foi destinado a programas de treinamento em 2015. Neste ano, o planejamento é de redução desse percentual, com uma média de 1,09%.

· Atualmente, a prática de headhunting destaca-se como sendo a mais utilizada para contratação de executivos (66%). Para os demais níveis, os métodos mais comuns são: recrutamento interno (78%); internet, e-mail e redes sociais (76%); indicação de outros funcionários (74%); e banco de currículos (71%).

· 87% dos participantes responderam que, ao menos, um executivo do departamento de RH participa ativamente das decisões estratégicas da empresa. Já 80% dos entrevistados sinalizaram que possuem processos e políticas de Recursos Humanos e de Departamento Pessoal definidas e formalizadas.

· Em 2015, identificou-se a manutenção da taxa média de rotatividade das empresas. Assim como em 2014, o turnover médio foi de aproximadamente 14%.

· Quantos às práticas de benefícios, foi identificado que as empresas investem em média 21% do valor da Folha de Salários Nominais na concessão de benefícios para os seus colaboradores. 

In Press Porter Novelli

Assessoria de imprensa

+55 (11) 3323-1581

deloitte@inpresspni.com.br

Você achou útil?