Releases para imprensa

Empresas brasileiras e latinas estão mais propensas a implementar iniciativas de redução de custos do que demais regiões do mundo, aponta estudo da Deloitte   

Release para imprensa

Entre os dados do estudo que envolveu mais de 70 empresas brasileiras e mais de 1.000 executivos de todo o mundo, destacam-se:

95% do empresariado brasileiro participante entende ser fundamental a aplicação de ações de redução de custos nas organizações;
Número nacional é similar ao apurado na América Latina (96%), mas superior ao aferido em termos globais (86%);
Mesmo para empresas com crescimento de receita nos últimos 24 meses, a redução de custos é uma prioridade; entretanto cerca de 2 em cada 3 empresas não atingem suas metas de redução de custos anuais.

Em um ambiente global de negócios em constante mudança, empresas com metas agressivas de redução de custos tendem a obter vantagens competitivas. A pesquisa global de redução de custos da Deloitte retrata esse cenário e aponta que 95% do empresariado brasileiro pretende implementar políticas de redução de custos nos próximos 24 meses. Este número está em consonância com os levantados junto a empresários da América Latina (96%). Observa-se, porém, que o índice no Brasil é superior ao encontrado no restante do mundo (86%). A pesquisa ouviu insights de mais 1.000 executivos C-level de quatro importantes regiões: Estados Unidos (EUA), América Latina (A. Latina), Europa (EU) e Ásia-Pacífico (APAC).

Embora a intenção de redução de custo seja uma meta global, muitas empresas não alcançam resultados expressivos. De acordo com a pesquisa, quase metade dos entrevistados (45%) buscou metas de redução de custos menores que 10%. Ainda assim, quase dois terços dos entrevistados (63%) relataram que não conseguiram atingir suas metas. Com relação ao não cumprimento de metas, o Brasil apresenta rendimento bastante similar à média global (64% contra 63%, respectivamente).

“É importante haver um planejamento prévio e a definição de metas ambiciosas de redução de custos antes de operacionalizar mudanças. A redução de custos é meta e a revisão de processos é consequência. A partir de então, a tecnologia aplicada, aliada à participação de líderes e de equipes, são pilares fundamentais para o sucesso no cumprimento destas metas”, defende Renata Muramoto, sócia da área de Estratégia & Operações da Deloitte. “Temos no Brasil uma ótima percepção da importância da redução de custos. Precisamos agora incrementar os resultados neste sentido”, completa.

Diante do apurado, o estudo propõe que, com as altas taxas de falha dos programas de redução de custos, as empresas devem considerar a adoção de tecnologias exponenciais disruptivas e soluções digitais. “Essas novas soluções surgem como um fator decisivo para alavancar a eficiência e a eficácia, viabilizar novos modelos de negócios, ajudar a reduzir custos e melhorar margens de forma sistêmica”, finaliza Caroline Yokomizo, diretora de Strategic Cost Transformation da Deloitte.

Ideal H+K Strategies

Assessoria de imprensa

+55 (11) 4873-7632

deloitte@idealhks.com

Você achou útil?