Releases para imprensa

Pequenas e médias empresas brasileiras estão focadas em geração de receita, 27% esperam mais que dobrar o faturamento nos próximos três anos, aponta pesquisa da Deloitte  

Release para imprensa

· Estudo da Deloitte, que completa treze anos, traz as PMEs que mais crescem no país e mostra que foco saiu de cortar custos para gerar novas formas de receita;

· Mais de dois terços das empresas do ranking esperam registrar, nos próximos três anos, um ciclo de forte crescimento investindo, principalmente, na ampliação da carteira de clientes;

· Temas abordados vão desde gestão, governança corporativa e capital humano até empreendedorismo e inovação.

Em sua décima terceira edição, a pesquisa As PMEs que Mais Crescem no Brasil, elaborada pela Deloitte, em parceria com a revista Exame, aborda a expansão dessas empresas em tempos de retomada gradual da economia. O estudo traz os principais motores de crescimento das 100 pesquisadas – que obtiveram expansão mínima anual de 14% ao longo dos três anos avaliados (2015, 2016 e 2017) –, tais como a ampliação para novos mercados e a melhoria da satisfação do cliente e mostra que, para elas, a indústria 4.0 já é um desafio.  

De acordo com o resultado, o foco dessas empresas hoje é gerar receitas. “Ao contrário do que foi no passado, quando a meta era cortar gastos, as empresas estão voltadas ao lançamento de produtos, entrada em novos mercados e até mesmo movimentos de aquisição e fusão. Os empreendedores brasileiros são resilientes e, apesar de um cenário ainda desafiador, seguem acreditando e fazendo a economia do país girar”, explica Othon Almeida, sócio-líder de Market Development da Deloitte.

Tamanha é a confiança em uma guinada que o seguinte dado chama a atenção: mais de dois terços das empresas do ranking esperam registrar, nos próximos três anos, um ciclo de forte crescimento e 27% esperam mais que dobrar o faturamento neste mesmo período. Este é o objetivo final que traz a questão de como chegar lá. E são as empresas pesquisadas que respondem: investindo, principalmente, na ampliação da carteira de clientes. Para 41% das organizações, a melhoria da experiência e da satisfação do cliente é uma das ações que mais contribuem para o crescimento das PMEs.

No campo do capital humano, os principais investimentos dos últimos três anos foram na formação/qualificação profissional, premiação por metas atingidas, aumento de salários, aumento de benefícios e melhoria nas políticas de plano de carreira, nesta ordem de prioridade.

Tecnologia de Informação e Infraestrutura seguem em destaque

Ao se olhar o ranking, a exemplo das últimas edições, os segmentos com maior número de empresas participantes são Serviços de TI, Demais Manufaturas e Infraestrutura. Destacam-se aquelas que oferecem serviços ao setor de Energia. Em termos porcentuais, os segmentos de Serviços de tecnologia da informação concentram 31% das empresas participantes, Demais manufaturas 16% e Infraestrutura 11%, seguidos por Serviços a empresas e Comércio (ambos com 9%), Construção e Alimentos e bebidas (ambos com 6%). Ainda, Máquinas e equipamentos respondem por 5%, Demais serviços por 4% e Agronegócios contam com 3% do total de empresas.

No que diz respeito às regiões brasileiras, grande parte das empresas participantes está concentrada no Sul e Sudeste do país. A região Sudeste agrega mais da metade das empresas (51%), sendo que 45% estão localizadas no Estado de São Paulo. Neste Raio-X do setor, ainda se constatou que a idade média das PMEs é de 16,8 anos e que 45% do total tiveram faturamento anual de R$ 5 milhões e R$ 30 milhões.

Metodologia e amostra

As empresas que participaram da pesquisa foram convidadas a responder a um questionário eletrônico e compartilhar suas demonstrações financeiras referentes ao período de 2015 a 2017. Do total de 258 que responderam ao questionário, 188 atenderam a todos os critérios da pesquisa e, destas, 100 foram classificadas para o ranking de maior crescimento. A pesquisa tem por base as 100 pequenas e médias empresas que registraram as mais altas taxas de expansão em receita líquida entre 2015 e 2017.

 

Ideal H+K Strategies

Assessoria de imprensa

+55 (11) 4873-7632

deloitte@idealhks.com

Você achou útil?