Pesquisas

Os Poderosos do Varejo de Luxo 2018

Formando o futuro do segmento de bens de luxo

Estudo global da Deloitte traz o ranking das 100 maiores empresas mundiais do varejo de luxo e analisa as principais movimentações de mercado que impactam o setor.

A indústria de bens de consumo de luxo passou por diversas transformações nas últimas duas décadas, com tendências econômicas flutuantes, inovações tecnológicas e preferências do consumidor em evolução. A pesquisa global da Deloitte “Poderosos do Varejo de Luxo 2018” examina como essas mudanças criaram um novo cenário competitivo, ao qual as estratégias corporativas tradicionais precisam se adaptar.

O estudo traz também o ranking das 100 maiores empresas de bens de consumo de luxo, com base nos dados divulgados para o ano fiscal encerrado em junho de 2017, e analisa suas performances por região e tipo de produto. O relatório apresenta ainda tendências e temas que impulsionam o futuro do segmento.

Principais destaques da pesquisa:
  • A Itália aparece novamente como o país com o maior número de empresas de bens de luxo, enquanto a França tem o maior índice de vendas;
  • China, França, Alemanha, Itália, Espanha, Suíça, Reino Unido e Estados Unidos somam 83% das empresas do Top 100 e 90% das vendas das empresas que entraram no ranking;
  • As vendas de empresas do setor de vestimentas e calçados caiu 0,2 pontos percentuais em relação ao último período analisado, apesar das vendas com reajuste monetário terem crescido 0,2 pontos percentuais. Tanto a taxa de crescimento quanto a margem de lucro líquido caíram pelo segundo ano consecutivo. Com 38 empresas, este setor é o que tem maior representação no Top 100;
  • O setor de cosméticos e fragrâncias teve a melhor performance no ano fiscal analisado, e o único com crescimento nas vendas de bens de luxo, em 7,6%;
  • A média de vendas das 11 organizações presentes em todos os setores dos bens de luxo foi de US$6,3 bilhões. Juntas, elas respondem por 32,2% das vendas do Top 100. 
Você achou útil?