Pesquisa

Os Poderosos do Varejo de Luxo 2021

A inovação do luxo

À medida que as marcas de luxo buscam se conectar com seus clientes, estão mudando sua abordagem e mentalidade, incorporando sustentabilidade e digitalização em suas estratégias de longo prazo para se alinhar às demandas dos consumidores e aos novos requisitos regulatórios.

Ao longo dos últimos meses, consumidores e empresas vêm se adaptando a uma nova forma de viver e sua visão sobre bens de luxo pode estar mudando. Há uma crescente conscientização sobre as preocupações ambientais e a necessidade de adotar práticas sustentáveis na forma como os bens são produzidos e usados. As empresas de bens de luxo estão respondendo positivamente a esses desafios, ao mesmo tempo que aceleram a adoção de soluções digitais para interagir com os consumidores e oferecer experiências de compras de luxo usando a tecnologia. Embora a indústria esteja voltando a realizar eventos ao vivo e vendas nas lojas, tanto a sustentabilidade quanto a digitalização agora aparecem com mais destaque em suas estratégias para o futuro.

As 100 maiores empresas de bens de luxo do mundo geraram receitas de US$ 252 bilhões no ano fiscal de 2020, abaixo dos US$ 281 bilhões do ano anterior – uma diminuição de US$ 29 bilhões, resultado de quedas em todos os países e todos os setores de produtos. Mais de 80% das empresas no top 100 relataram vendas mais baixas de bens de luxo no ano fiscal de 2020, refletindo o impacto adverso da pandemia de Covid-19, com queda nas vendas devido ao fechamento de lojas, proibições de viagens, mudanças na demanda do consumidor, interrupções na cadeia de suprimentos e outros fatores. Apesar do crescimento das vendas de artigos de luxo para o top 100 ter caído mais de 20% em relação ao ano anterior, a margem de lucro líquido composto do ano de 2020 para as 81 principais empresas que reportaram lucro líquido caiu de apenas 5,7% (ano fiscal de 2019) para 5,1%.

Além de explorar as tendências que impactam o mercado de bens de luxo, o relatório identifica as 100 maiores empresas de bens de luxo com base em dados disponíveis publicamente para o ano fiscal de 2020 (que definimos como exercícios financeiros que terminam nos 12 meses de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2020) e avalia seu desempenho em todas as geografias e setores de produtos. Uma nova seção do relatório deste ano se concentra no comércio eletrônico de luxo e analisa os principais fatores que impulsionam as mudanças em suas estratégias, desde modelos de negócios, principais participantes, parcerias e mudanças notáveis ​​no ambiente de negócios.

Os Poderosos do Varejo de Luxo 2021
Você achou útil?