Perspectivas do setor de Power and Utilities

Pesquisa

Perspectivas do setor de Power and Utilities para 2022

A transição para a energia limpa

A recessão provocada pelos impactos econômicos ligados à pandemia de Covid-19 fez com que o ano de 2021 – marco da retomada dos setores após o arrefecimento da crise – fosse um verdadeiro desafio para o setor de energia e saneamento. Por um lado, ao passo que a economia começou a emergir, houve aumento de vendas no setor de eletricidade no valor de 3,8% até agosto de 2021. Em contrapartida, eventos climáticos sem precedentes desafiaram a confiabilidade e a resiliência do setor. Os ataques cibernéticos a infraestruturas críticas também cresceram, ganharam manchetes e preocuparam o setor.

Para 2022, os desafios não mudaram. A geração de energia limpa segue sendo prioridade, tendo como objetivos garantir confiabilidade, resiliência, manter a segurança e os custos baixos. A aposta para cumprir a tarefa é avançar na transformação “3D”: descarbonização, digitalização e descentralização.

Em nosso relatório anual, exploramos cinco tendências que provavelmente impactarão o setor em 2022, desde o aprimoramento das estratégias de descarbonização e resiliência, passando por implantação de tecnologias 5G e nuvem até o impacto potencial de políticas federais.

Conheça as cinco perspectivas-chave para o setor em 2022:
 

Perspectivas do setor de Power and Utilities para 2022

Planos de descarbonização devem ser ainda mais detalhados

No último trimestre de 2021, 46 das 54 empresas de serviços públicos de propriedade de investidores dos EUA comprometeram-se a reduzir as emissões de carbono, muitas delas até 2050. E quase três em cada quatro contas de clientes foram servidas por uma entidade com um objetivo de reduzir em 100% a carbonização. Em 2022, é provável que mais empresas de serviços públicos assumam e firmem compromissos e estratégias, impulsionados pelo apoio ao consumidor, de forma mais detalhada e consistente. As políticas federais também provavelmente se tornarão mais claras e os avanços tecnológicos são a carta na manga para o sucesso dessas ações.

Eventos climáticos sem precedentes impulsionam resiliência

A frequência, intensidade e imprevisibilidade sem precedentes de eventos climáticos extremos no ano passado apontam para um foco crescente nas estratégias de resiliência das empresas em 2022. Uma pesquisa do setor revela que 51% dos entrevistados relataram que os eventos climáticos afetaram a confiabilidade da entrega de eletricidade em seu território mais do que o normal em 2021.

Para as concessionárias de energia elétrica, o planejamento de resiliência é fundamental porque eventos extremos, como incêndios florestais, ondas de calor, congelamentos, inundações, tempestades e elevação do nível do mar podem afetar tanto o fornecimento quanto a demanda de eletricidade – um duplo golpe caro. 

Especialistas deixaram claro que os padrões climáticos globais estão cada vez mais imprevisíveis. Não é mais possível usar o passado para prever os eventos futuros. Em 2022, espera-se que a preparação seja proativa.

5G e nuvem podem acelerar a transição para energia limpa

Ao passo que o setor de energia elétrica se moderniza, fica mais visível para as empresas que tecnologias de comunicação 5G e nuvem podem ajudá-las a aproveitar o poder da crescente onda de dispositivos e dados conectados. O 5G permite que as concessionárias movam dados de medidores inteligentes, sensores e outros dispositivos para a nuvem, onde podem analisá-los e agir com mais eficácia.

No próximo ano, a tendência é que as tecnologias 5G tenham seus potenciais muito mais aproveitados. De acordo com pesquisa global da Deloitte realizada com executivos de rede em todos os setores, 58% dos entrevistados já estão implantando 5G ou executando pilotos, enquanto 36% planejam implementar as tecnologias ainda neste ano.

Programas de carga flexíveis

Em 2022, a tendência é que empresas incluam mais soluções de carga flexível em seu planejamento de recursos para que se beneficiem de redução de custos e cumpram as metas de descarbonização. Quase 90% dos entrevistados da pesquisa do setor de energia e serviços públicos disseram planejar fazer maior uso de programas de carga flexível.

Legisladores e reguladores têm apoiando programas de eficiência energética em níveis sem precedentes – e os programas estão crescendo rapidamente. As soluções de flexibilidade de carga dinâmica, porém, não crescem tão rápido quanto poderiam e podem estar sendo prejudicados pela necessidade de aprimoramento de tecnologias de controle do sistema de distribuição, padrões de comunicação e incentivos para as partes interessadas.

Eletrificação de edifícios já está impactando planejamento

A eletrificação de edifícios tem um enorme potencial para aumentar a demanda de eletricidade, mas pode ter seus impactos negativos no futuro – que podem ser mitigados com o aprimoramento de alguns sistemas. Na Califórnia e no Nordeste, algumas concessionárias já estão ajustando as operações para apoiar a crescente eletrificação de edifícios, e tudo indica que a tendência crescerá ainda mais no próximo ano.

Olhando para 2022 e além, espera-se que o setor seja capaz de lidar com o aumento da demanda de eletricidade. Será necessário, porém, investir mais recursos em climatização doméstica e aparelhos responsivos para ajudar a gerenciar o uso de energia. O armazenamento de energia adicional provavelmente também será necessário.

Você achou útil?