Pesquisas

Perspectivas da indústria bancária 2020

Navegando no futuro à luz da Covid-19

O que vem pela frente para fusões e aquisições nos mercados bancário e de capitais? Qual é o impacto potencial da crescente incerteza econômica e política? Nossa nova perspectiva analisa as tendências mais significativas de 2019 e prevê atividades de M&A no próximo ano entre bancos, empresas de gestão de investimentos e fortunas e fintechs.

O estudo global da Deloitte “Perspectivas da indústria bancária 2020" aborda como o aumento das incertezas econômicas e políticas em 2020 impactou o cenário de fusões e aquisições bancárias e de mercado de capitais. 

À medida em que bancos, firmas de gestão de investimentos e fortunas e empresas de fintech procuram oportunidades de parceria, é provável que se oponham à certeza com cautela. O momento certo é importante: se um comprador pretende fazer uma mudança, ele pode fazê-lo no início do ano ou esperar até que a poeira econômica e política assente.

Leia a análise e confira as atividades de M&A da indústria bancária nos últimos 12 meses, conheça as expectativas para o ano que vem e identifique as tendências que as organizações precisam observar. 

Perspectivas da indústria bancária 2020

O impacto da Covid-19 em M&A

Em meio às incertezas causadas pela Covid-19, os fatores que antes eram favoráveis ​​para a continuidade das fusões e aquisições no setor bancário e de mercado de capitais foram ofuscados pela recente turbulência no mercado. Os desafios que a pandemia introduziu – e o risco crescente de uma potencial recessão – podem conduzir à tomada de decisões estratégicas para os bancos que lutam hoje em busca do melhor valor para o acionista no futuro, impulsionando assim mais vendedores potenciais no mercado.

Como em qualquer crise, há organizações que estão preparadas e posicionadas para agir nas oportunidades estratégicas que podem surgir – e há organizações que não estão. Confira nossa atualização especial para saber mais sobre as tendências que deverão impactar a atividade de M&A em 2021.

Acesse o capítulo complementar
Você achou útil?