Análise

A importância da cultura organizacional na prática 

Uma abordagem assertiva é essencial para alcançar os objetivos estratégicos das empresas

*Por Maria Kneip Dantas, gerente sênior da prática de Capital Humano da Deloitte

A cultura organizacional reflete os valores e o modo como tudo acontece em uma empresa. Ela precisa ser bem definida e gerenciada – com líderes engajados e empenhados em dar o tom a partir de seus próprios exemplos, e sistemas que incentivem os comportamentos desejados.

Um projeto de cultura organizacional visa fortalecer aspectos que impulsionam objetivos de negócios importantes, tornando as empresas mais fortes e sustentáveis. 

É possível observar cada vez mais organizações com uma compreensão mais ampla sobre a importância desta cultura, com a implementação de projetos que permitem reforçar seus valores de forma contínua e consistente, mesmo em meio às incertezas do contexto externo. 

Se os objetivos estratégicos são revisados e reformulados para melhor atender aos clientes e manter um negócio sustentável com impactos positivos na sociedade, é preciso olhar para dentro de casa e verificar se a organização atua com comportamentos alinhados para tais entregas. A utilização de mecanismos de controle e avaliação é fundamental nesse processo, tanto para identificar as iniciativas de sucesso, como para levantar eventuais ajustes de rota.

O modelo de cultura desenvolvido pela prática de Capital Humano da Deloitte utiliza uma série de ações assertivas para mapear como os profissionais percebem a cultura da qual fazem parte, permitindo entender o efeito dos comportamentos, símbolos e sistemas, que são observados pelas pessoas em toda a organização. Essa análise possibilita também verificar como os profissionais percebem o que é valorizado na empresa, por meio das decisões tomadas pelas diferentes lideranças. Além de ouvir toda a organização, o modelo inclui grupos focais e entrevistas com pessoas chave, para que o diagnóstico seja completo.

Uma ferramenta importante nesse modelo é a pesquisa de clima, que avalia como as pessoas estão se sentindo, quão satisfeitas elas estão, e o quanto se sentem envolvidas com a organização. Essa pesquisa, que tem sido incorporada por diversas empresas, é bastante influenciada por eventos específicos. Ela deve ser complementada pela pesquisa de cultura, que analisa a maneira de trabalhar, independente de quaisquer variáveis ou fatores externos. 

Como exemplo, podemos pensar em duas áreas: A e B, ambas com excelentes resultados na pesquisa de clima. Quando olhamos para a cultura, que reflete a forma de trabalhar, e os comportamentos estimulados e tolerados no dia a dia, notamos diferenças expressivas:

  • A área A, ao resolver um problema, coloca o cliente no centro e pensa em soluções de forma colaborativa, convidando interlocutores de diferentes áreas para um brainstorming de soluções. Essa área também se apropria de estudos de mercado e pesquisa a forma como os problemas são resolvidos em outras empresas do mundo. As equipes conversam com consultorias especializadas, acessam estudos publicados em conferências internacionais e convidam fornecedores para discussões. 
  • A área B, na mesma situação, restringe-se especialistas da própria área ou ainda da mesma organização, discute soluções e apresenta rapidamente um parecer com as conclusões da área, com base no que já foi feito na empresa.

Se nos dois cenários as equipes entregam uma solução para o desafio estabelecido, é possível notar comportamentos bastante distintos – demonstrando traços culturais diferentes. A forma como a área A atua, por exemplo, é mais aderente aos novos modelos de trabalho, que tendem a ser mais colaborativos, com incentivo a fomentar a inovação, o pensamento divergente e a busca de soluções “fora da caixa” para alcançar entregas de mais valor.

Para além de uma questão de Recursos Humanos, a cultura organizacional tem impactos significativos nos resultados das empresas – a partir do momento em que tem um efeito direto na própria atuação das equipes – e representa um ponto de partida importante para a transformação dos negócios.

Você achou útil?