key findings of Deloitte's 2015 shared services survey

Análises

Pesquisa Global de Serviços Compartilhados 2017

A Deloitte conversou com mais de 300 organizações ao redor do mundo para compreender as práticas e os principais desafios dos Centros de Serviços Compartilhados (CSCs) para este ano.

Desde 1999, a Deloitte realiza pesquisas bienais para entender como os Centros de Serviços Compartilhados (CSCs) capitalizam práticas e tendências para enfrentar seus desafios de negócios e atender melhor às necessidades de seus clientes. O estudo deste ano contou com 333 entrevistados de diferentes indústrias e recolheu visões de mais de 1.100 Centros de Serviços Compartilhados.

Tecnologia, Mídia e Telecomunicações foi o principal segmento representado na pesquisa, respondendo por 16% dos participantes. Aproximadamente 45% dos entrevistados tiveram pelo menos U$5 bilhões em faturamento enquanto 16% dos participantes alcançaram faturamento superior a U$25 bilhões.

Principais insights

Geografia

  • Os Estados Unidos figuram como local preferido para operações de CSC; o Brasil ocupa a 16ª posição;
  • A consolidação e redução de custos são os motivos mais citados para modificar a presença de CSC, seguido por expansão geográfica, novas funcionalidades e aquisições.

Escopo dos Serviços Compartilhados

  • Os processos transacionais continuam a dominar os tipos de atividades que estão sendo desempenhadas pelos CSCs;
  • RH é um dos serviços mais incrementado às operações de CSCs e voltado para entregas com âmbito regional.

Operações e governança

  • As organizações continuam a mudar para um Modelo de Governança Global (GBS), levando em conta múltiplas funções, localidades, regiões e tipos de negócios;
  • A retenção de pessoas é um desafio crescente à medida que a disputa por talentos continua a aumentar.

Valor e jornada dos Serviços Compartilhados

  • A transição de processos para os CSCs, padronizações e mudança de tecnologia têm sido cada vez mais realizadas por meio da abordagem de implantação “lift and shift”, indicando uma potencial preferência por transições mais rápidas e menos arriscadas;
  • Mudar para um CSC antes da alteração de tecnologia e padronização de processos continua sendo a abordagem mais popular.

Futuro dos Serviços Compartilhados

  • 63% dos participantes pretendem utilizar robótica nos próximos 3 a 5 anos;
  • 45% dos entrevistados acreditam que o uso de Robótica e Automação de Processos (RPA) entregará até 20% de economia, em média, a seus respectivos negócios;
  • As empresas estão procurando novas formas de criar e capturar valor por meio de iniciativas como melhoria contínua, robótica e analytics. 

 

Acesse o Infográfico

Você achou útil?