Soluções

Gestão de crises e continuidade

Vantagem ao agir de forma preventiva

A próxima situação de crise pode chegar a qualquer momento e colocar a reputação e os resultados da sua empresa em risco. Neste cenário, o Centro da Deloitte para Gestão de Crises e Resiliência Empresarial ajuda as organizações a descobrir uma vantagem inesperada, auxiliando na preparação, resposta e fortalecimento após uma crise.

1 – Não espere até que uma crise se estabeleça para estar preparado. Monitoramento, preparação e testes são as formas mais efetivas para enfrentar um momento de crise. As organizações que planejam e simulam possíveis cenários de crise estarão mais bem posicionadas para responder de forma eficaz quando uma crise realmente emergir.

2 – Cada decisão durante uma grande crise pode afetar o valor da organização perante os stakeholders. Riscos de reputação podem abalar o valor da empresa mais rápido do que os riscos operacionais.

3 – As respostas às crises devem ser em minutos, não em horas ou dias. As organizações precisam assumir o controle, ser flexíveis, tomar decisões com base em informações, comunicar-se bem internamente e externamente e inspirar confiança. Isso, muitas vezes, requer pensar fora da caixa e inovar.

4 - Você pode se fortalecer. Quase toda crise cria oportunidades para as empresas se recuperarem. Essas oportunidades surgirão apenas se você estiver olhando para elas.

5 – Quando a crise parece chegar ao fim, ela continua. Os desafios continuam muito tempo depois de o momento crítico passar. A maneira de coletar e gerenciar os dados, tomar as decisões, gerenciar as finanças, lidar com os sinistros de seguros e atender aos requisitos legais no período de recuperação, pode determinar o quão forte a empresa se sairá.

Cinco lições sobre gestão de crises para os executivos (C-Suite Executives)

Quatro áreas representam as principais oportunidades para melhoria dos métodos de gestão de crise aplicados pelas organizações.

Monitoramento em regime 24/7

  • A capacidade de monitoramento em regime 24/7 é necessária para rastrear todas as fontes de dados que são relevantes para potenciais interrupções de negócios;
  • A mesma capacidade de monitoramento também é aplicável em ocasiões de pós-crise.

Simulação de crise

  • Simulações são formas robustas para avaliar o estágio de iminência de um período de crise;
  • Por meio de simulações é possível antecipar se o seu "modelo" será efetivo quando a crise iniciar.

Resposta em tempo real

  • Durante um momento de crise, as empresas precisam de equipes que entreguem respostas, em tempo real, seguindo as orientações de uma área especializada;
  • Os profissionais que administram essas áreas devem apresentar competências essenciais, como conhecimentos de indústria e de gerenciamento de crise.

Comunicação de crise

  • Profissionais de comunicação em geral, muitas vezes, não são aptos para transmitir as percepções de negócios e não possuem o entendimento financeiro necessário para proteger o valor da organização perante os seus públicos de interesse;
  • Comunicação de crise também significa comunicação financeira.

Nossos diferenciais

Estudo – Simulação de crise: colocando a prontidão em teste

Muitas organizações dedicam um tempo substancial e recursos à gestão de riscos. Mas há um momento em que o previsível dá lugar ao imprevisível gerando um cenário de crise. A combinação de diversos fatores e acontecimentos menores podem construir cenários complexos de crise.

Por meio do Centro de Gestão de Crises e Resiliência Empresarial, a Deloitte auxilia organizações a identificar potenciais situações de crises e a responder em tempo real, bem como preparando a liderança a lidar com estes cenários, por meio de técnicas avançadas de simulação de cenários de crise.

Descubra como a simulação pode trazer alguns insights sobre a capacidade de resposta e de resiliência da sua organização.

Conteúdo em inglês