Análises

Sucesso em meio a incertezas

Redução estratégica de custos na América Latina

Os fatores macroeconômicos têm exercido forte impacto sobre as prioridades de melhoria de custo e ações das empresas da América Latina

Com o objetivo de saber o que as empresas latino-americanas fazem para administrar os custos, a Deloitte realizou uma pesquisa com mais de 150 CXOs, executivos e gestores sêniores de empresas de médio e grande porte no Brasil e no México, dois países que juntos representam 63% da economia da região.

Algumas das principais conclusões do estudo:

  • Fatores relacionados à economia global – incluindo “recessão/problemas macroeconômicos” e flutuação tanto das “taxas de câmbio globais” quanto dos “preços das commodities” – foram avaliados como os principais riscos externos do Brasil e do México;
  • Independentemente de suas expectativas de crescimento, praticamente todas as organizações pesquisadas no Brasil e no México afirmam estarem propensas à redução de custos – independentemente de crescimento ou redução de receitas;
  • Em linha com suas expectativas positivas de crescimento e redução de custos, as empresas pesquisadas citaram crescimento das vendas e redução de custos como suas principais prioridades estratégicas. A busca simultânea por essas duas prioridades aparentemente conflitantes acaba criando um paradoxo que chamamos de “economizar para crescer”.
Você achou útil?