Pesquisas

Impulsionando a maturidade digital

Sete capacidades centrais para a transformação digital

Apesar de organizações de todos os setores dedicarem tempo, esforço e capital para se transformarem digitalmente, apenas algumas alcançam resultados tangíveis. A pesquisa aborda os sete fatores críticos para que as empresas possam atingir sua maturidade digital.

Em busca dos fatores que levam ao sucesso da transformação digital, a pesquisa “Impulsionando a maturidade digital” entrevistou 1,2 mil executivos seniores com conhecimento sobre as iniciativas de transformação digital de suas organizações. Embora este tema esteja presente na agenda de negócios, os esforços trazem necessariamente em benefícios, e muitas organizações continuam lutando para traduzir a execução de projetos digitais em programas de transformação de impacto tangível.

O estudo indica ainda que há uma discordância sobre o significado de transformação digital. A noção mais abrangente entende, para a empresa se tornar efetivamente digital, ela precisa usar dados e tecnologia para desenvolver continuamente todos os aspectos de seus modelos de negócios: o que oferece, como interage com seus clientes, a maneira como entrega e seu modo de operação.

Para alcançar a transformação digital, as empresas precisam desenvolver uma ampla gama de ativos e capacidades, chamados de pivôs digitais. O estudo elencou os sete principais:

1. Infraestrutura flexível e segura
Implementar uma infraestrutura de tecnologia que equilibre as necessidades de segurança e privacidade com a capacidade de flexibilizar suas capacidades de acordo com as demandas do negócio.

2. Domínio de dados
Agregar, ativar e monetizar dados em silos, incorporando-os em produtos, serviços e operações para aumentar a eficiência, o crescimento da receita e o envolvimento do cliente.

3. Redes de talentos abertas e com experiência digital
Retomar programas de treinamento como foco nas competências digitais e nas equipes para acessar rapidamente conjuntos de habilidades sob demanda e flexibilizar a força de trabalho.

4. Engajamento do ecossistema
Trabalhar com parceiros comerciais externos, incluindo organizações de pesquisa e desenvolvimento, incubadoras de tecnologia e startups para obter acesso a recursos como tecnologia, propriedade intelectual ou pessoas.

5. Fluxos de trabalho inteligentes
Implementar e recalibrar continuamente os processos que aproveitam ao máximo os recursos humanos e tecnológicos para produzir resultados positivos e liberar recursos para ações de maior valor.

6. Experiência unificada do cliente
Oferecer uma experiência aprimorada ao usuário, construída em torno de uma visão de 360 graus, compartilhada em toda a empresa, com interações digitais e humanas.

7. Adaptabilidade ao modelo de negócios
Expandir a matriz de modelos de negócios e fluxos de receita da organização, otimizando cada oferta para se adaptar às condições variáveis de mercado e aumentar a receita e a lucratividade.

Você achou útil?