Pesquisas

CIO Survey 2016-2017

Trajetória entre perfis: No rumo da geração de valor ao negócio

A pesquisa traz informações relevantes sobre o papel dos líderes de tecnologia em diferentes empresas por todo o mundo e quais serão os desafios e demandas que eles terão de enfrentar nos próximos anos.

O CIO Survey 2016-2017, da Deloitte, avança em uma compreensão mais profunda sobre como os Chief Information Officers (CIOs) moldam seus perfis – o valor e o impacto que os líderes de tecnologia oferecem às suas organizações. Por meio de entrevistas e pesquisas online, o levantamento coletou opiniões e pontos de vista de mais de 1.200 CIOs em 23 segmentos de indústria em 48 países.

Este ano, a pesquisa explora até que ponto personalidade e estilo de trabalho impactam o perfil do CIO. Além disso, analisa se os CIOs estão atendendo às expectativas de negócios por meio da comparação de habilidades e investimentos de TI com as prioridades de negócios. Por último, estudou a transição entre os três padrões de perfis – operadores confiáveis (55%), instigadores de mudanças (11%) e cocriadores de negócios (34%) – para determinar como os líderes de tecnologia podem mover-se de acordo com a necessidade de negócios. 

O estudo também revelou uma mudança, em relação à edição passada, nas prioridades comerciais de "desempenho empresarial" para "clientes", com 57% dos CIOs apontando "clientes" como sua principal prioridade. No entanto, apenas 45% dos CIOs declararam que sua organização de tecnologia da informação está envolvida na oferta de experiência do cliente por meio de capacidades de TI.

O iceberg digital

A pesquisa apontou que parte dos CIOs e líderes de negócios consideram o digital apenas como ferramentas e tecnologias de front-end voltadas para o cliente - o que chamamos de a ponta do iceberg digital. Outros veem o digital como uma mentalidade, em que a tecnologia transforma e molda fundamentalmente futuros modelos de negócios. Isso requer a incorporação de tecnologia em todas as facetas do negócio e exige um papel fundamentalmente diferente para os CIOs.

Se os CIOs são fundamentais para impulsionar a transformação digital em toda a organização, devem desenvolver e melhorar as suas habilidades e investimentos digitais. Mais de um quarto (28%) classificou suas organizações de TI como abaixo da média em conjuntos de habilidades digitais, especialmente experiência digital, do cliente e analytics. Dois em cada cinco CIOs disseram que não estavam investindo o suficiente em tecnologias emergentes e analytics.

Veja os principais insights do relatório

Brasil: Perfil dos líderes de TI se torna mais estratégico

O Brasil, 2º país com maior participação no estudo, manteve-se alinhado às tendências globais identificadas nesta edição do CIO Survey. Operadores confiáveis representaram 52% dos respondentes, instigadores de mudanças, 12% e cocriadores de negócios, 36% dos pesquisados. Apesar de a maior parte dos executivos de tecnologia do País ainda priorizar a operação, a nova edição da pesquisa mostra que houve uma migração significativa do foco desses profissionais para as áreas de negócio – o que é o primeiro grande passo para a transformação organizacional.

Na amostra brasileira, diferentemente do resultado global, quando analisadas as cinco prioridades de negócios mais indicadas pelos líderes globais de tecnologia, o cliente ocupa a terceira posição, sendo a principal delas os custos, com 60%. Nesse contexto, ações para a promoção de maior eficiência se fazem necessárias, como forma de possibilitar que as empresas redirecionarem o seu foco dos custos para o cliente.

O interesse dos CIOs brasileiros por novas tecnologias, como digital, analytics e computação em nuvem é crescente, sendo esses os três temas considerados de maior impacto para o negócio nos próximos dois anos. O estudo mapeou que essas tecnologias serão também as que mais irão receber investimentos no mesmo período. Esse resultado sugere que o líder de tecnologia do Brasil está se preparando para o impacto que a nova onda digital irá trazer para as organizações, e tem procurado compreender cada vez mais o atual momento digital de negócio e o papel central que sua posição exige.

Você achou útil?