Comunicados de Imprensa

Direitos de transmissão impulsionam futebol europeu, com as cinco maiores ligas a excederem os 13 mil milhões de euros em receitas

Com interesse

  • Receitas do mercado europeu de futebol aproximaram-se dos 25 mil milhões de euros na época 2015/16
  • Na base do crescimento das receitas das cinco maiores ligas Europeias estão os acordos de direitos de transmissão
  • Novos acordos de transmissão, iniciados na época 2016/17, irão reforçar este crescimento de receitas nas próximas épocas

 

Lisboa, 12 de julho de 2017 - As receitas das cinco maiores ligas europeias (Bundesliga, La Liga, Ligue 1, Premier League e Serie A) ultrapassaram os 13,4 mil milhões de euros na época 2015/2016, um valor que duplicou na última década, de acordo com a 26ª edição do ”Annual Review of Football Finance”, realizado pela área de Sports Business da Deloitte. Os novos acordos de transmissão na Alemanha, Itália e Espanha, combinados com o início de mais um ciclo de direitos de transmissão da UEFA, estão na base do crescimento de 1,4 mil milhões de euros (12%) nas receitas das cinco maiores ligas. A dimensão total do mercado de futebol europeu é agora de 24,6 mil milhões de euros, um aumento de 13% face à época de 2014/15.

Segundo Dan Jones, partner da Deloitte na área de Sports Business, “o crescimento nas receitas dos direitos de transmissão tem garantido aos clubes líderes europeus as condições para investirem em talentos e instalações desportivas, atingindo níveis recorde. As cinco maiores ligas da Europa, sem exceção, apresentaram um aumento de receitas na época 2015/16”.

“As receitas dos contratos de transmissão foram responsáveis por quase metade do total de receitas das cinco maiores ligas europeias na época 2015/16. Os valores superiores dos novos acordos em Inglaterra, França e Espanha para a época 2016/17 e na Alemanha, referente à época de 2017/18, irão aumentar ainda mais as receitas”.

Os clubes da Premier League continuam significativamente à frente da concorrência no que respeita a receitas, com um total de 4,9 mil milhões de euros em receitas em 2015/16, significativamente acima dos 4,4 mil milhões de 2014/15. Os novos acordos de direitos de transmissão, com início em 2016/17, irão assegurar esta liderança face ao resto da Europa segundo o “Annual Review of Football Finance”.

Os clubes da Bundesliga apresentaram receitas de 2,7 mil milhões de euros, assegurando a manutenção da segunda posição no ranking das ligas com maiores receitas na Europa. O novo ciclo de direitos de transmissão internacional está na base do crescimento de 320 milhões de euros (13%) nas receitas.

Os clubes da principal divisão espanhola – La Liga – geraram uma receita de 2,4 mil milhões de euros, mais 384 milhões de euros (19%) acima do registado na época 2014/15. Um aumento alimentado em grande parte pelo impacto do novo modelo coletivo de venda dos direitos de transmissão. Após um ano de transição do modelo, que abrangeu a época 2015/16, o novo acordo a três anos da La Liga – que teve início em 2016/17 – poderá levar a liga espanhola a ultrapassar ligeiramente a Bundesliga e a apresentar-se como a segunda maior liga europeia em receitas na próxima edição do “Annual Review of Football Finance”.

Os clubes da Serie A registaram um aumento de receitas de 7%, subindo para os 1,9 mil milhões de euros, devido sobretudo ao alargamento e melhoramento do acordo de direitos de transmissão, ao aumento das distribuições da UEFA aos clubes que participam nas competições deste organismo e a um crescimento de 12% das receitas comerciais.

Os clubes franceses da Ligue 1 viram as suas receitas aumentar 5%, para os 1,5 mil milhões de euros em 2015/16. O Paris Saint-Germain, bicampeão gaulês, é responsável por cerca de 60% do crescimento das receitas totais da primeira divisão francesa.

As despesas salariais agregadas das cinco maiores ligas europeias aumentaram 10%, fixando-se nos 8,2 mil milhões de euros em 2015/16. O crescimento das receitas foi, ainda assim, superior, uma vez que o rácio de receitas/ remunerações decresceu de 62% para 61%. Pela terceira vez na última década, a Bundesliga aplicou menos de metade das suas receitas em ordenados – 49%. Nas três ocasiões que tal sucedeu, esse feito foi alcançado pela Bundesliga.

Na época 2015/16, os clubes da Premier League geraram um lucro operacional superior a qualquer outra liga de futebol do mundo - 683 milhões de euros (exclui itens como as transferências de jogadores e amortizações). O lucro operacional de quase 400 milhões de euros dos clubes de La Liga colocam-na à frente da Bundesliga (284 milhões de euros) como a segunda liga mais lucrativa. Os clubes de Itália e França registaram perdas operacionais combinadas de 38 milhões e de 98 milhões de euros respetivamente, muito embora no caso de Itália o valor tenha baixado significativamente face à época de 2014/15.

De acordo com Adam Bull, Senior Consultant da Deloitte na área de Sports Business, “ao garantirem um crescimento significativo das receitas através dos novos acordos de transmissão, em vigor desde a época de 2015/16, os clubes que integram as cinco maiores ligas europeias tentam antecipar-se: aumentam a despesa com transferências e salários durante a última época do ciclo de direitos de transmissão, confiantes que um novo e significativo fluxo de receitas está para breve”.

Outras conclusões revelantes do “Annual Review of Football Finance” 2017 da Deloitte:

  • As receitas de transmissão nas cinco maiores ligas europeias cresceram 14% (0,8 mil milhões de euros) em 2015/16, e atingiram um total de 6,6 mil milhões de euros, representando 49% do total de receitas.
  • As receitas provenientes de patrocínios e outras fontes comerciais atingiram os 4,6 mil milhões de euros (um aumento de 10% face a 2014/15), representando 34% da receita total.
  • As receitas por jogo cresceram 6% e contabilizam 17% da receita total, com 2,2 mil milhões de euros.
  • Em média, os clubes das cinco maiores ligas europeias gastaram apenas 57% do crescimento total de receitas em salários em 2015/16, um valor muito abaixo dos 90% no ano anterior.
  • O ciclo de três anos de direitos de transmissão, que entrou em vigor em 2015/16, está na base do significativo aumento das distribuições da UEFA aos clubes participantes nas suas competições. Como resultado, o maior aumento de receita para os clubes fora destas cinco maiores ligas deveu-se à participação na Liga dos Campeões ou na Liga Europa da UEFA.

Para mais informações contacte:

Communications & Media Relations

Filipa Matos
mamatos@deloitte.pt
Tel: 210 423 038

Miguel Jerónimo
mijeronimo@deloitte.pt
Tel: 210 423 064

Notas:

Taxas de câmbio

A conversão dos valores entre Libras e Euros foi feita à taxa de câmbio de 30 de junho de 2016 (£1 = €1.34). 

 

Despesas salariais

As despesas salariais contemplam todos os funcionários (incluindo jogadores, equipa técnica e administrativa) e incluem ordenados, remunerações, prémios de assinatura de contrato, valores de rescisão, bónus, contribuições para a segurança social, entre outras despesas que beneficiam os funcionários.

 

Sobre a área de Sports Business da Deloitte

Nos últimos 25 anos, a Deloitte desenvolveu um foco único sobre o negócio do desporto. A área especializada de Sport Business oferece um serviço especializado multidisciplinar com pessoas dedicadas, e competências capazes de agregar valor significativo ao negócio do desporto. Quer sejam estudos de benchmarking, revisões estratégicas de negócio, mudanças operacionais, estratégias de aumento de receitas ou planos de desenvolvimento de estádios, planeamento de negócios, análise de mercado ou aquisições, due dilligences, especialização em arbitragem, auditoria ou planeamento fiscal, trabalhamos com mais clubes, ligas, entidades de gestão, construtores de estádios, organizadores de eventos, parceiros comerciais e investidores que qualquer outra consultora.

Para mais informações sobre os nossos serviços, aceda à nossa página: www.deloitte.co.uk/sportsbusinessgroup

 

Sobre a Deloitte

“Deloitte” refere-se a Deloitte Touche Tohmatsu Limited, uma sociedade privada de responsabilidade limitada do Reino Unido (DTTL), ou a uma ou mais entidades da sua rede de firmas membro e respetivas entidades relacionadas. A DTTL e cada uma das firmas membro da sua rede são entidades legais separadas e independentes. A DTTL (também referida como “Deloitte Global”) não presta serviços a clientes. Aceda a www.deloitte.com/pt/about para saber mais sobre a nossa rede global de firmas membro.

A Deloitte presta serviços de audit & assuranceconsulting, financial advisory, risk advisory, tax e serviços relacionados a clientes nos mais diversos setores de atividade. Quatro em cada cinco empresas da Fortune Global 500® recorrem aos serviços da Deloitte, através da sua rede global de firmas membro presente em mais de 150 países, combinando competências de elevado nível, conhecimento e serviços de elevada qualidade para responder aos mais complexos desafios de negócio dos seus clientes. Para saber como os aproximadamente 245.000 profissionais criam um impacto positivo, siga a nossa página no FacebookLinkedIn ou Twitter.

Did you find this useful?