Artigo

The Social Progress Index 2018

A global view of people’s quality of life, independent of wealth

Medir o que realmente importa aos países, regiões e comunidades, e aos governos, empresas e sociedade

Ao longo da última metade do século passado, o crescimento económico retirou milhares de milhões de pessoas da pobreza e contribuiu para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos. Contudo, é cada vez mais evidente que um modelo de desenvolvimento apenas baseado no progresso económico não é suficiente. Uma sociedade que falhe em responder às necessidades humanas básicas, em garantir a melhoria da qualidade de vida, em proteger o ambiente e em oferecer igualdade de oportunidades aos seus cidadãos, não é bem-sucedida. Devemos alargar o nosso entendimento sobre o sucesso das sociedades para lá dos efeitos económicos. O crescimento inclusivo é aquele que conjuga o progresso económico e social.

Criado pela ONG Social Progress Imperative, o SPI procura responder a esta necessidade com uma metodologia holística e robusta que mede o desempenho social e ambiental, e que pode ser usada por líderes governamentais, de negócio ou da sociedade civil para comparar o sucesso e acelerar o progresso. O SPI é o primeiro índice a medir o progresso social e que é independente do PIB, embora o complemente.

Este Índice proporciona uma base empírica e sistemática para o desenvolvimento de uma estratégia de crescimento inclusivo. Foi implementado pela primeira vez a nível nacional em 2014 e, desde então, tem sido enriquecido e alargado para abranger regiões, cidades e comunidades.

Ao medir o progresso social conseguimos traduzir os ganhos económicos em melhor desempenho social e ambiental, e assim promover ainda mais o sucesso económico. O Social Progress Index fornece um quadro de análise que permite desenhar um programa de ação concreto que promova o desempenho social e económico. 

Resultados do Social Progress Index 2018

As principais conclusões:

  • De uma forma geral, a evolução da progressão social mundial melhorou. Os maiores progressos foram nos indicadores de Abrigo, Acesso à informação e comunicação e Acesso à educação superior, que melhoraram em três ou mais pontos nos últimos quatro anos. 
  • Globalmente, o indicador de Direitos Pessoais, retrocedeu. A média global desceu de 65,22 em 2014 para 61,34 em 2018. Portugal, por seu lado, destaca-se positivamente com um excelente desempenho neste indicador, ocupando a 3ª posição a nível mundial. 
  • Relativamente à Inclusão, um indicador que inclui a aceitação de homossexuais e de minorias, regista-se um declínio marginal global. Também neste indicador Portugal apresenta um bom desempenho, com a 12ª posição na classificação global. 
  • Este ano, Portugal está em 24º lugar a nível global e em 2º lugar no grupo onde está inserido, que é composto por 15 países com um PIB semelhante.
  • Os países mais poderosos do mundo foram os que evoluíram de forma menos significativa nos últimos quatro anos. Apesar de deterem a maioria da riqueza, a maioria não teve melhorias significativas desde 2014.  

Para mais detalhes e informação consulte a página global do SPI.

Outros

Aceda aqui ao comunicado de imprensa.

Achou esta informação útil?