Artigo

Índice de Progresso Social 2019

A global view of people’s quality of life, independent of wealth

Medir o que realmente importa aos países, regiões e comunidades, e aos governos, empresas e sociedade

Ao longo da última metade do século passado, o crescimento económico retirou milhares de milhões de pessoas da pobreza e contribuiu para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos. Contudo, é cada vez mais evidente que um modelo de desenvolvimento apenas baseado no progresso económico não é suficiente. Uma sociedade que falhe em responder às necessidades humanas básicas, em garantir a melhoria da qualidade de vida, em proteger o ambiente e em oferecer igualdade de oportunidades aos seus cidadãos, não é bem-sucedida. Devemos alargar o nosso entendimento sobre o sucesso das sociedades para lá dos efeitos económicos. O crescimento inclusivo é aquele que conjuga o progresso económico e social.

Criado pela ONG Social Progress Imperative, o SPI procura responder a esta necessidade com uma metodologia holística e robusta que mede o desempenho social e ambiental, e que pode ser usada por líderes governamentais, de negócio ou da sociedade civil para comparar o sucesso e acelerar o progresso. O SPI é o primeiro índice a medir o progresso social e que é independente do PIB, embora o complemente.

Este Índice proporciona uma base empírica e sistemática para o desenvolvimento de uma estratégia de crescimento inclusivo. Foi implementado pela primeira vez a nível nacional em 2014 e, desde então, tem sido enriquecido e alargado para abranger regiões, cidades e comunidades.

Ao medir o progresso social conseguimos traduzir os ganhos económicos em melhor desempenho social e ambiental, e assim promover ainda mais o sucesso económico. O Social Progress Index fornece um quadro de análise que permite desenhar um programa de ação concreto que promova o desempenho social e económico. 

Sobre o Social Progress Index 2019

Com o apoio da Deloitte e desenvolvido pela Social Progress Imperative, uma organização norte-americana sem fins lucrativos. O SPI classifica a performance social de 149 países ao longo de seis anos (2014-2019), analisando 51 indicadores, entre os quais se inclui a Nutrição, Habitação, Segurança, Educação, Saúde, bem como Direitos Humanos e Inclusão. Estes indicadores estão organizados em três dimensões distintas: Necessidades Básicas Humanas, Bem Estar e Oportunidades.

A análise deste ano faz uma reflexão sobre os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) incluídos na agenda 2030 da ONU e indica que há um significativo atraso na sua concretização. De acordo com o Índice de Progresso Social, caso se mantenham os dados e a evolução social atuais, os ODS, cuja concretização está prevista para 2030, não serão atingidos antes de 2073.

Leia o Comunicado de Imprensa

open in new window Aceda aqui

Principais conclusões do Índice de Progresso Social 2019:

  • O progresso social no mundo melhorou nos últimos seis anos, de 62.16/100 em 2014 para 64.47/100 em 2019, um aumento de 2.31 valores. Globalmente, os maiores progressos registaram-se nas áreas da Habitação, Água e Saneamento, Acesso à Informação e Comunicação e Acesso a Educação Superior. Se o Mundo fosse um país, estaria colocado entre a China e a Arábia Saudita no ranking do Social Progress Index;
  • O indicador de Direitos Pessoais foi o que registou a maior queda, passando de 65.61/100 em 2014 para 61.44/100 em 2019, uma queda superior a quatro pontos, num espaço de seis anos.
  • A Noruega está no topo do ranking com um resultado de 90.95/100, demonstrando um forte desempenho em praticamente todos os indicadores. Melhorou 2.38 valores desde 2014, mais do que qualquer país nórdico.
  • O Sudão do Sul está no último lugar do Índice de Progresso Social (24.44/100), seguido da República Centro-Africana e do Chade, sendo os únicos países com uma pontuação global abaixo de 30.
  • O país do G7 que melhor resultado alcançou foi a Alemanha (8º lugar com 88.84/100), seguida do Canadá (9º lugar com 88.81/100), Japão, Reino Unido e França, todos eles no grupo de países Tier 1. Do G7, apenas os Estados Unidos e a Itália se encontram no grupo de Tier 2.
  • Os Estados Unidos são um dos quatro países que regrediu no ranking entre 2014 e 2019, tendo passado de um resultado de 84.74/100 em 2014 para 83.62/100 em 2019. Estão colocados no 26º lugar do ranking, atrás da Estónia e à frente do Chipre. Esta tendência negativa é explicada por uma diminuição nos indicadores de Saúde, Educação, Inclusão e Direitos Pessoais.
  • Portugal tem um alto desempenho a nível global nas categorias de Direitos Pessoais (2º lugar) e Inclusão (10º lugar). O menor desempenho do país foi registado nas áreas de Acesso ao Ensino Superior e Nutrição (24º lugar) e Acesso a Conhecimento Básico (25º Lugar).

 

Para mais detalhes e informação consulte a página global do SPI ou explore os resultados do Social Progress Index 2019.

Achou esta informação útil?