football money 2

Comunicados de Imprensa

Deloitte Football Money League 2017

Os 20 clubes de futebol com maiores ganhos do mundo geraram 7,4 mil milhões de euros de receitas na época de 2015/16

Manchester United regressa à liderança da Football Money League da Deloitte, com as receitas dos 20 maiores clubes a atingirem um valor recorde de 7,4 mil milhões de euros.

Com interesse

  • Receitas combinadas dos 20 maiores clubes da Money League, na época de 2015/16, aumentaram 12% para um valor recorde de 7,4 mil milhões de euros;
  • Manchester United regressa à primeira posição da Money League, pela primeira vez desde a época de 2003/04, com uma receita recorde de 689 milhões de euros;
  • Barcelona e Real Madrid completam o top três, tal como na primeira edição da Money League, referente à época de 1996/97;
  • Real Madrid desce para o terceiro lugar, depois de 11 anos consecutivos na liderança da Money League, apesar de ter ultrapassado pela primeira vez a barreira dos 600 milhões de euros de receitas;
  • Manchester City sobe para a quinta posição, chegando pela primeira vez ao top 5 da Money League, e o Leicester City faz a sua estreia no top 20, depois de ter vencido a Premier League na época em análise;
  • Existem oito clubes da Premier League no top 20, com receitas que somam aproximadamente 3,2 mil milhões de euros;
  • A 20ª edição da Football Money League da Deloitte posiciona os 20 maiores clubes de futebol do mundo em termos de receitas.

Os 20 clubes de futebol com maiores ganhos do mundo geraram 7,4 mil milhões de euros de receitas na época de 2015/16, um aumento de 12% face ao ano passado, de acordo com a 20ª edição do estudo Football Money League da consultora Deloitte.

Manchester United, FC Barcelona e Real Madrid são os clubes que ocupam os três primeiros lugares da classificação da Money League, à semelhança do que aconteceu na primeira edição, relativa à época de 1996/97. Os três clubes ultrapassaram a barreira dos 600 milhões de euros de receitas em 2015/16, ficando para a história como os primeiros a atingir esta marca. Quarenta e duas equipas de futebol de todo o mundo marcaram presença neste top 20, durante as 20 edições da Money League. Apenas 10 clubes mantiveram uma presença constante desde o primeiro estudo, e apenas o Manchester United e o Real Madrid lideraram esta tabela.

Reconquista do Manchester United

O Manchester United reconquista a primeira posição na Football Money League de 2017, destronando o Real Madrid que se manteve na liderança durante 11 anos consecutivos. As receitas do United somaram 689 milhões de euros, o valor mais alto registado por um clube de futebol, até ao momento, apresentando um forte crescimento nas três categorias de receitas (bilheteira, direitos de transmissão, e comerciais), comparativamente à época de 2014/15. As receitas de bilheteira e associadas aos direitos de transmissão do United foram reforçadas pelo regresso do clube à Liga dos Campeões da UEFA, mas foi o crescimento de 100 milhões de euros nas receitas comerciais que permitiu o regresso do United à primeira posição deste ranking.

Dan Jones, sócio da Deloitte na área de Sports Business, destaca que “o Manchester United teve de esperar 11 anos para reconquistar o título de maior clube do mundo em termos de geração de receitas, e foi necessário um fenomenal aumento das receitas comerciais para conseguir alcançar esta posição. Nos últimos anos, a sua capacidade de garantir parcerias comerciais financeiramente mais vantajosas que as dos clubes rivais foi um fator absolutamente crucial para o ajudar a reconquistar a liderança da Money League.”

“O clube terá de enfrentar dois concorrentes de peso, o FC Barcelona e o Real Madrid, se quiser manter o primeiro lugar na edição do próximo ano. Isto, devido à ausência de um futebol ao nível da Liga dos Campeões, ao enfraquecimento da Libra face ao Euro e, a longo prazo, ao facto de outros clubes entrarem no mercado comercial a exigirem contratos semelhantes, usando o United como exemplo.”

A força da Premier League

A Liga Inglesa vê oito equipas no top 20 deste ano, igualando o seu próprio recorde. Para fechar um ano notável, o Leicester City surge como o 20º maior clube de futebol do mundo gerador de receitas. A campanha criada em torno do título de campeão nacional impulsionou as receitas de 2015/16 para os 172,1 milhões de euros, um valor quase cinco vezes superior àquele conseguido há apenas duas épocas antes, em 2013/14.

O Arsenal, o Chelsea, o Liverpool e o Tottenham mantêm-se na sétima, oitava, nona e 12ª posições, respetivamente. O Manchester City registou uma impressionante subida e conseguiu alcançar, pela primeira vez, o quinto lugar, depois de um grande desempenho na Liga dos Campeões da UEFA. Esta é a primeira vez que a Inglaterra tem dois clubes no top cinco, desde 2011/12. O West Ham United, que surge na 18ª posição da classificação, é o outro representante inglês.

Segundo Tim Bridge, senior manager da Deloitte, “a Money League continua a demonstrar a grande força financeira da Premier League. O surgimento do Leicester City mostra que o sucesso dentro das quatro linhas é suficiente para que qualquer equipa da Premier League tenha a oportunidade para conquistar uma posição no top 20.”

“Com o Leicester a garantir a qualificação para a Ronda dos 16 na Liga dos Campeões da EUFA deste ano, estimamos que consiga manter a sua posição no top 20, ou até subir algumas posições.”

A elite da Europa

O Bayern Munich ocupa a quarta posição e é o clube que completa o top cinco, com o Paris Saint-Germain a escorregar para o sexto lugar. Mais uma vez, o PSG é o único clube francês na Money League, e o FC Zenit St Petersburg é o único clube russo. Itália é representada por quatro clubes no top 20. A Juventus lidera a lista italiana na décima posição, seguida pelo AS Roma (15ª posição) que ultrapassa o rival AC Milan (16ª posição) pela primeira vez na história da Money League. O Internazionale fecha o grupo italiano, mantendo-se no 19º lugar. No entanto, com os recentes contratos de transmissão televisiva da Premier League a contribuírem significativamente para o reforço das receitas dos clubes ingleses na Money League do próximo ano, existe a forte possibilidade de os clubes que estão atualmente na linha de água da Money League, o AC Milan e o Internazionale, abandonarem o top 20 para o ano.

Tim Bridge acrescenta que “a Money League de 2015/16 assistiu a um aumento de 12% no total das receitas dos clubes do top 20, um valor bastante superior aos 8% registados o ano passado. Esperamos que esta taxa de crescimento seja igualmente forte no próximo ano, pelo facto de os clubes da Premier League beneficiarem de um aumento das receitas promovido pelos contratos recorde de transmissão televisiva. Existe uma forte probabilidade de todos os clubes da Premier League integrarem o top 30 no próximo ano.”

Para aceder a todos os resultados do estudo Deloitte Football Money League, visite o site www.deloitte.co.uk/sportsbusinessgroup.

Para mais informações contacte:

Equipa de Media Relations

Filipa Matos

mamatos@deloitte.pt

Tel: 210 423 038

Miguel Jerónimo 

mijeronimo@deloitte.pt

Tel: 210 423 064

Football Money League da Deloitte – Receitas de 2015/16

Rankin (Posição do ano anterior)

Clube

Receitas em 2015/16 (€milhões) (Receitas em 2014/15)

Receitas em 2015/16 (£milhões) (Receitas em 2014/15)

1 (3)

Manchester United

689 (519,5)

515,3 (395,2)

2 (2)

FC Barcelona

620,2 (560,8)

463,8 (426,6)

3 (1)

Real Madrid

620,1 (577)

463,8 (439)

4 (5)

Bayern Munich

592 (474)

442,7 (360,6)

5 (6)

Manchester City

524,9 (463,5)

392,6 (352,6)

6 (4)

Paris Saint-Germain

520,9 (480,8)

389,6 (365,8)

7 (7)

Arsenal

468,5 (435,5)

350,4 (331,3)

8 (8)

Chelsea

447,4 (420)

334,6 (319,5)

9 (9)

Liverpool

403,8 (391,8)

302 (298,1)

10 (10)

Juventus

341,1 (323,9)

255,1 (246,4)

11 (11)

Borussia Dortmund

283,9 (280,6)

212,3 (213,5)

12 (12)

Tottenham Hotspur

279,7 (257,5)

209,2 (195,9)

13 (16)

Atlético de Madrid

228,6 (176,6)

171 (134,4)

14 (13)

Schalke 04

224,5 (219,7)

167,9 (167,1)

15 (15)

AS Roma

218,2 (179,1)

163,2 (136,3)

16 (14)

AC Milan

214,7 (199,1)

160,6 (151,5)

17 (18)

FC Zenit St Petersburg

196,5 (167,8)

147 (127,7)

18 (na)

West Ham United

192,3 (160,9)

143,8 (122,4)

19 (20)

Internazionale

179,2 (164,8)

134 (125,4)

20 (na)

Leicester City

172,1 (137,2)

128,7 (104,4)

 

Clubes sempre presentes na Football Money League da Deloitte, desde a época de 1996/97

Ranking em  1996/97

Clube

Receitas em 1996/97 €milhões (£milhões)

1

Manchester United

117,5 (87,9)

2

FC Barcelona

78,7 (58,9)

3

Real Madrid

77,1 (55,7)

4

Juventus

71,1 (53,2)

5

Bayern Munich

69 (51,6)

6

AC Milan

63,5 (47,5)

9

Liverpool

52,4 (39,2)

10

Internazionale

52,3 (39,1)

16

Tottenham Hotspur

37,3 (27,9)

20

Arsenal

36,4 (27,2)

 

Este comunicado de imprensa baseia-se no estudo Football Money League da Deloitte publicado em janeiro de 2017. Como explicado, com mais detalhe no documento, os dados das receitas são apurados a partir dos relatórios financeiros anuais, ou obtidos através de outras fontes diretas dos clubes, referentes à época 2015/16.

Existem várias formas de analisar a riqueza ou o valor relativo dos clubes de futebol. Para a Football Money League da Deloitte, as receitas foram usadas como a medida mais facilmente disponível e comparável para avaliação do desempenho financeiro dos clubes.

As receitas não incluem os valores de transferências de jogadores, o IVA e outros impostos sobre vendas. Em alguns casos, foram feitos ajustamentos de modo a permitir, de acordo com a nossa visão, uma comparação mais significativa do negócio do futebol clube a clube.

Não verificámos ou auditámos nenhuma da informação contida nos relatórios financeiros ou em outras fontes, relativamente a cada um dos clubes, para esta publicação.

Para podermos estabelecer comparações internacionais, salvo indicação do contrário, todos os valores referentes à época de 2015/16 foram convertidos de acordo com a taxa de câmbio em vigor a 30 de junho de 2016 (£1 = €1.3371; €1 = RUB 67.2676). Os valores comparativos foram retirados de edições anteriores da Football Money League da Deloitte, de declarações anuais financeiras relevantes ou de outras fontes diretas.

Ainda este ano será publicado o Annual Review of Football Finance da Deloitte, que oferece uma análise mais detalhada da conjuntura financeira do futebol inglês e europeu.

Edições anteriores

Para consultar as edições anteriores, siga os links em baixo ou contacte-nos:

Sobre a área de Sports Business da Deloitte

Nos últimos vinte anos, a Deloitte desenvolveu um foco único sobre o negócio do desporto. A área de Sport Business oferece um serviço especializado multidisciplinar com pessoas dedicadas, e competências capazes de agregar valor significativo ao negócio do desporto. Quer sejam estudos de benchmarking, revisões estratégicas de negócio, mudanças operacionais, estratégias de aumento de receitas, ou planos de desenvolvimento de estádios, planeamento de negócios, análise de mercado ou aquisições, due dilligences, especialização em arbitragem, auditoria ou planeamento fiscal, trabalhámos com mais clubes, ligas, entidades de gestão, construtores de estádios, organizadores de eventos, parceiros comerciais e investidores que qualquer outra consultora.

Para mais informações sobre os nossos serviços, visite: www.deloitte.co.uk/sportsbusinessgroup

Sobre a Deloitte

"Deloitte" refere-se a Deloitte Touche Tohmatsu Limited, uma sociedade privada de responsabilidade limitada do Reino Unido (DTTL), ou a uma ou mais entidades da sua rede de firmas membro e respetivas entidades relacionadas. A DTTL e cada uma das firmas membro da sua rede são entidades legais separadas e independentes. A DTTL (também referida como "Deloitte Global") não presta serviços a clientes. Aceda a www.deloitte.com/pt/about para saber mais sobre a nossa rede global de firmas membro.

A Deloitte presta serviços de auditoria, consultoria, financial advisory, risk advisory, consultoria fiscal e serviços relacionados a clientes nos mais diversos setores de atividade. Quatro em cada cinco empresas da Fortune Global 500® recorrem aos serviços da Deloitte, através da sua rede global de firmas membro presente em mais de 150 países, combinando competências de elevado nível, conhecimento e serviços de elevada qualidade para responder aos mais complexos desafios de negócio dos seus clientes. Para saber como os aproximadamente 245.000 profissionais criam um impacto positivo, siga a nossa página no Facebook, LinkedIn ou Twitter.

© 2017 Para informações, contacte WeShare – Serviços de Gestão S.A.

Did you find this useful?