Artigo

Estudo de Natal 2013 da Deloitte

Preço continua a ser variável chave no processo de compra

Natal 2013 - new times, new traditions

O preço continua a ter um papel preponderante para a maioria dos portugueses (70 por cento), apresentando-se por consequência como um dos principais desafios dos retalhistas. Esta é a opinião dos portugueses inquiridos na 16.ª edição do Estudo de Natal da Deloitte, que analisa as intenções e estratégias de compra dos consumidores em 17 países Europeus e na África do Sul.

Quando questionados sobre os atributos mais importantes na escolha de um retalhista, os inquiridos portugueses destacam ainda a qualidade das suas lojas em termos da conveniência de compra (46 por cento) e a seleção de produtos disponíveis (43 por cento).

Segundo os dados do Estudo de Natal da Deloitte, a importância dada pelos portugueses à capacidade dos retalhistas em disponibilizar informação sobre ofertas e promoções é bastante mais expressiva (31 por cento) que a média dos países inquiridos (18 por cento).

Embora haja ainda um longo caminho no desenvolvimento do ecommerce em Portugal, os inquiridos destacam os benefícios deste canal de compra, como sejam: a possibilidade de consultar a opinião de outros consumidores (64 por cento); a possibilidade de comparar preços (57 por cento); a entrega ao domicílio (56 por cento); o nível de preço (49 por cento); e a possibilidade de comprar produtos facilmente (45 por cento).

As lojas físicas continuam a ser o canal privilegiado para as compras dos portugueses, os quais destacam como principais benefícios a possibilidade de troca ou devolução dos produtos (91 por cento); os serviços pós-venda (89 por cento); o aconselhamento competente e profissional (88 por cento); a segurança no pagamento (87 por cento); e o prazer da compra (84 por cento).

Globalmente, de acordo com os dados do Estudo de Natal 2013 da Deloitte, os portugueses estão este ano ligeiramente menos pessimistas quanto às perspectivas económicas; não sendo ainda razão suficiente para inverter a tendência de redução do orçamento destinado a gastos no período natalício. Os portugueses têm a expectativa de gastar 393 euros (por lar), com grande parte destinada à compra de presentes (cerca de 195 euros), seguida dos gastos com produtos alimentares (144 euros) e com socialização (55€).

A presente edição do Estudo de Natal 2013 abrange 17 países europeus e África do Sul, tendo sido inquiridos um total de 17.355 consumidores, entre a segunda e terceira semana de Setembro, sobre as suas intenções e planos de gastos em presentes, alimentação e lazer.

Did you find this useful?