Artigo

Portugueses prevêem gastar 338 euros no Natal

Sábado | 14-11-2017

Os portugueses planeiam gastar cerca de 338 euros este Natal, entre despesas com presentes (53%), alimentação e bebidas (34%) e eventos sociais (13%). O valor representa um decréscimo de 21 euros face a 2016, segundo um estudo da Deloitte.  
 
"O principal destaque nesta edição é a evolução muito favorável das expectativas dos consumidores portugueses em relação à sua situação económica e poder de compra, pela primeira vez, desde que o estudo é realizado, Portugal é mais optimista de todos os países analisados e aquele onde se observou a maior evolução face ao ano passado", refere, em comunicado, o parceiro associado de retalho e produtos da Deloitte, Pedro Miguel Silva.  
 
De acordo com o Estudo de Natal 2017, entre 2009 e 2014, os portugueses reduzirem em mais de 50% as despesas natalícias de 620 para 270 euros por agregado. A partir de 2015 a tendência voltou a ser crescente. Segundo o estudo, 39% dos inquiridos, a nível nacional, avaliam a situação actual da economia como "positiva", enquanto que 20% a classificam como "negativa". Em 2016, a avaliação dos portugueses era mais pessimista: 15% avaliou a situação económica como "positiva" e 49% como "negativa".  
 
"Relativamente ao estado futuro da economia, a maioria dos países europeus, incluindo Portugal, tem uma expectativa de evolução igualmente positiva, com apenas a Grécia a apresentar um saldo desfavorável nas respostas dadas", lê-se no estudo. Portugal lidera esta esperança no futuro com 32% dos inquiridos a revelar uma expectativa "positiva", face aos 4% verificados em 2016. O estudo questionou ainda o impacto que o Orçamento do Estado para 2018 terá na vida dos inquiridos e dois terços consideram que o mesmo terá um impacto "positivo" ou "neutro" no seu comportamento de compra.  
 
Entre os inquiridos, Portugal é o único país que sente que o seu poder de compra evoluiu, favoravelmente, face ao ano anterior. "O saldo entre respostas positivas e negativas é, este ano, de +2%, o que representa uma subida de 25 pontos percentuais, face a 2016", conclui a Deloitte. O Estudo de Natal 2017 abrangeu 10 países e foi desenvolvido com base numa amostra representativa de consumidores europeus, num total de 8.154 inquiridos, dos quais 762 portugueses, durante o mês de Outubro de 2017. 
 
Com Lusa.  

Fonte: Sábado

Achou esta informação útil?

Tópicos relacionados