Artigo

Global Powers of Retailing 2022

Conheça as 250 maiores empresas de retalho do mundo.

Durante este ano, os retalhistas de todo o mundo tiveram de enfrentar uma dura batalha contra um vírus imprevisível, variantes ressurgentes e teorias de uma economia frágil e instável. No entanto, conseguiram manter-se resilientes, crescer e responder às expectativas dos consumidores.

O Global Powers of Retailing 2022 analisa a economia global e o seu impacto no setor de retalho. Neste ranking da Deloitte são apresentados os 250 maiores retalhistas do mundo, de acordo com os dados públicos disponíveis referentes ao exercício de 2020.

A edição de 2022 do estudo da Deloitte identifica, ainda, as 50 empresas de retalho com maior crescimento e analisa o desempenho obtido pelo setor, ao nível do volume de negócios, crescimento e rentabilidade nas várias geografias, segmentos de atividade e formatos de loja.
 

"Apesar de 2021 ter sido um ano muito desafiante devido ao aumento da inflação, à escassez de mão de obra e às interrupções causadas pela pandemia na cadeia de abastecimento, o setor do retalho está numa trajetória de crescimento, com os principais players a conseguirem responder aos desafios mais exigentes que estes novos tempos impõem." 

João Paulo Domingos, Partner e Líder de Setor de Consumer da Deloitte

Principais conclusões do estudo:

  • As 250 maiores empresas mundiais de retalho geraram um total de receitas agregadas de 5,11 mil milhões de dólares no ano fiscal de 2020 (exercícios fiscais encerrados em 30 de junho de 2021), o que representa um crescimento de 5,2%;
  • O Top 3 é novamente composto por três multinacionais norte-americanas, liderado pela Walmart (559,151 milhões de dólares), seguido da Amazon (213,573 milhões de dólares) e da Costco Wholesale Corporation (166,761 milhões de dólares). A lista das 10 maiores retalhistas do mundo continua a ser dominada por empresas sediadas nos Estados Unidos (7), ainda que, e pela primeira vez, durante o ano fiscal de 2020 se tenha assistido à entrada de um retalhista chinês (JD) no Top 10;
  • Segundo a edição anual do Global Powers of Retailing da Deloitte, o maior setor em termos de produtos continua a ser o de bens de consumo rápido (produtos vendidos de forma célere e com custo relativamente baixo), que representa 66,4% da receita de retalho das 250 maiores empresas;
  • O estudo revela ainda que, com 55% dos consumidores a afirmarem comprar produtos ou serviços sustentáveis, os retalhistas estão a ajustar as suas cadeias de abastecimento em prol das tendências de crescimento sustentável e consumo responsável;
  • A maioria dos retalhistas no Top 250 demonstra ter delineado compromissos ESG (Environmental, Social and Governance) e feito esforços na promoção de métricas nesta área. Para responder às preocupações dos clientes, inclusivamente millennials e geração Z, os retalhistas colocam no centro das suas estratégias de negócio a sustentabilidade das suas marcas e dos seus produtos.

Empresas portuguesas no TOP 250:

  • O Top 250 inclui ainda duas empresas portuguesas, a Jerónimo Martins e a Sonae;
  • A ocupar 49.ª posição a nível mundial, um lugar acima comparativamente ao ano anterior, está a Jerónimo Martins, com um crescimento de 3.5% e com receitas consolidadas de 20,860 milhões de dólares. A Jerónimo Martins está presente em três países (Pingo Doce e Recheio em Portugal, Biedronka e Hebe na Polónia, e Ara na Colômbia);
  • Já a Sonae subiu 14 posições e ocupa agora o 144º lugar do Top 250 do ranking a nível mundial. Durante o período em análise, a empresa portuguesa atingiu receitas consolidadas de 7,6 mil milhões de dólares, o que correspondeu a um aumento de 7.6%. A Sonae está presente em 62 mercados (é dona da cadeia de supermercados Continente, Worten, Sport Zone, Wells e Zippy).
     
Achou esta informação útil?