Comunicados de Imprensa

Contratos comerciais e de direitos de transmissão aumentam as receitas das cinco maiores Ligas Europeias em 7%, atingindo os 12 mil milhões de euros em 2014/15

  • O mercado europeu de futebol ultrapassou os 22 mil milhões de euros de receitas na época 2014/15.
  • A Premier League reforçou a liderança mundial em termos de receitas geradas, tendo registado um aumento de 3% dos proveitos, tendo a Bundesliga consolidado a segunda posição.
  • As receitas de transmissão nas cinco maiores Ligas Europeias cresceram 8% na época passada;
  • A Bundesliga regista a maior média de assistência, com praticamente 42.700 pessoas por jogo, mas a Premier League apresenta a maior taxa de utilização de estádio - 96%.

O mercado europeu de futebol ultrapassou os 22 mil milhões de euros de receitas na época 2014/15, tendo as cinco maiores Ligas Europeias (Bundesliga, La Liga, Ligue 1, Premier League e Serie A) representado 54% do total das receitas – de acordo com a 25ª edição do Annual Review of Football Finance, realizado pela área de Sports Business na Deloitte.

Segundo Dan Jones, partner da Deloite na área de Sports Business, “este foi mais um ano de crescimento para quatro das principais Ligas Europeias, o que traduz o contínuo interesse manifestado pelas estações de televisão e pelos parceiros comerciais em permanecerem associados a clubes de elite com um determinado perfil global e uma atrativa massa associativa e de adeptos.”

O responsável da Deloitte acredita que esta tendência de crescimento vai permanecer e é inevitável. “Com os novos ciclos de acordos de direitos de transmissão, realizados no início das próximas duas épocas, com as cinco principais Ligas Europeias, o mercado europeu de futebol deverá ultrapassar os 25 mil milhões de euros na época de 2016/17.”

O aumento de 3% das receitas da Premier League, referentes à época de 2014/15 (88 milhões de libras), permitiu reforçar a liderança mundial em termos de receitas geradas, com um total de 4,4 mil milhões de euros (3,3 mil milhões de libras), mais 2 mil milhões de euros do que o valor alcançado pela segunda maior liga do ranking, a Bundesliga. Este resultado coloca ainda a Liga inglesa na liderança do mundo do futebol no que diz respeito às três principais categorias de receitas, tendo ultrapassado a Bundesliga enquanto maior geradora de receitas comerciais na época de 2014/15.

A Bundesliga registou pelo nono ano consecutivo um aumento das suas receitas, somando um total de 2,4 mil milhões de euros, valor que traduz um crescimento de 5% (117 milhões de euros). Com este resultado, consolida também a segunda posição da tabela de receitas geradas pelas Ligas Europeias. Este crescimento foi essencialmente promovido pelos patrocínios e pelas parcerias comerciais, que representaram 48% do total de receitas da Bundesliga.

As receitas combinadas dos clubes que integram a La Liga aumentaram 6% (120 milhões de euros), para 2,1 mil milhões de euros na época de 2014/15. A liga espanhola registou um crescimento nas três categorias de receitas. A tendência para a venda coletiva dos direitos de transmissão deverá aumentar significativamente as receitas dos contratos de transmissão para os clubes, e poderá catapultar a La Liga para o segundo lugar no que diz receito às receitas geradas pelas ligas de todo o mundo, destronando a Bundesliga. Esta informação será confirmada após análise dos resultados referentes à época de 2015/16.

Os clubes da Serie A registaram um aumento de 5% das receitas (92 milhões de euros), para 1,8 mil milhões de euros em 2014/15 atenuando um pior desempenho dos principais clubes italianos. No global, os seis clubes de Itália que geraram maior receita registaram um crescimento de apenas 6 milhões de euros, representando 7% do crescimento total. Este valor compara com o aumento de receita de 86 milhões de euros, conseguido pelos restantes 14 clubes.

As receitas da Ligue 1 registaram uma queda de 80 milhões de euros (5%), para 1,4 mil milhões de euros em 2014/15, em parte provocada pela diminuição das receitas de patrocínio do AS Monaco (124 milhões de euros). A equilibrar este cenário está o aumento de 15% das receitas por jogo (21 milhões de euros), no seguimento das obras de requalificação efetuadas aos estádios a concurso para a UEFA Euro 2016, que resultaram numa assistência média de 22.329 pessoas, a mais elevada da última década.

As despesas salariais agregadas das cinco maiores Ligas Europeias aumentaram 10%, ultrapassando os 7,4 mil milhões de euros na época de 2014/15. À exceção da Serie A, todas as restantes ligas do top 5 registaram rácios de receitas/remunerações inferiores ao limite de 70% utilizado pela UEFA para avaliar e monitorizar a sustentabilidade financeira dos clubes (Bundesliga 52%, Premier League 61%, La Liga 63%, Ligue 1 67%, Serie A 72%). Os custos salariais dos clubes da Premier League aumentaram 7%, situando-se nos 2,7 mil milhões de euros em 2014/15, valor superior ao somatório dos gastos efetuados pelos clubes que integram a Bundesliga e a La Liga.

O resultado operacional da Premier League, que se fixou nos 718 milhões de euros (546 milhões de libras) na época de 2014/15, ficou um pouco abaixo do valor recorde registado no ano anterior (739 milhões de euros ou 618 milhões de libras). Ainda assim, continua a ser o dobro do resultado conseguido pela segunda maior liga, a Bundesliga (316 milhões de euros). Os clubes da La Liga também registaram um resultado operacional positivo de 264 milhões de euros.

De acordo com Adam Bull, Senior Consultant da Deloitte na área de Sports Business, “os novos contratos de direitos de transmissão que deverão arrancar no início da época de 2016/17, em cada uma das cinco principais Ligas Europeias, combinados com o aumento da aplicação de regulamentos financeiros em todo o futebol europeu, criam o cenário perfeito para as maiores ligas do mundo conseguirem registar um maior índice de rentabilidade”.

Outras conclusões revelantes do estudo Annual Review of Football Finance 2016 da Deloitte:

  • As receitas de transmissão nas cinco maiores Ligas Europeias cresceram 8% (406 milhões de euros) em 2014/15 para 5,8 mil milhões de dólares, representando 48% do total de receitas das cinco principais ligas;
  • As receitas provenientes dos patrocínios e de outras fontes comerciais aumentaram 5% e atingiram os 4,2 mil milhões de euros, a segunda maior categoria de receitas agregadas, com 35%;
  • As receitas por jogo cresceram 8% na época de 2014/15 e geraram 2,1 mil milhões de euros entre as cinco principais ligas;
  • Em média, 89% das receitas adicionais geradas pelas cinco principais Ligas Europeias em 2014/15 foram gastas em ordenados;
  • O ligeiro aumento verificado nos níveis de assistência fez com que a Bundesliga registasse a maior média de todas as ligas do mundo, com praticamente 42.700 pessoas por jogo e uma taxa de utilização de estádio próxima dos 90%. No entanto, foi a Premier League que registou a maior percentagem de utilização, com 96% (assistência média de 36.200 pessoas por jogo), com 14 dos seus 20 clubes a atingirem uma utilização superior a 95%;
  • A assistência media na La Liga também aumentou para mais de 25.700 mil pessoas em 2014/15. Na Ligue 1 a assistência aumentou pelo terceiro ano consecutivo para mais de 22.300 pessoas, ultrapassando o valor conseguido pela Serie A (21.600), pela primeira vez desde a época de 2006/07;
  • À margem das cinco principais Ligas Europeias, as competições na UEFA continuam a ter um forte impacto sobre o desempenho financeiro de alguns clubes, que, por sua vez, conseguem registar um impacto significativo nas receitas acumuladas dos respetivos campeonatos nacionais;
  • Os clubes da Russian Premier League registaram uma receita total de 803 milhões de euros em 2014, a sexta mais elevada do futebol Europeu.

 

Taxas de câmbio A conversão dos valores entre Libras e Euros foi feita à taxa de câmbio de 30 de junho de 2015 (£1 = €1.3145).

Em 2014/15, as receitas dos clubes ingleses da Premier League aumentaram 3% em UK Sterling, valor que compara com um aumento de 13% denominada em euros devido a uma alteração nas taxas de câmbio.

Despesas salariais

As despesas salariais contemplam todos os funcionários (incluindo jogadores, equipa técnica e administrativa) e incluem ordenados, remunerações, prémios de assinatura de contrato, valores de rescisão, bónus, contribuições para a segurança social, entre outras despesas que beneficiam os funcionários.

 

Sobre a área de Sports Business da Deloitte

Nos últimos 25 anos, a Deloitte desenvolveu um foco único sobre o negócio do desporto. A área especializada de Sport Business oferece um serviço especializado multidisciplinar com pessoas dedicadas, e competências capazes de agregar valor significativo ao negócio do desporto. Quer sejam estudos de benchmarking, revisões estratégicas de negócio, mudanças operacionais, estratégias de aumento de receitas ou planos de desenvolvimento de estádios, planeamento de negócios, análise de mercado ou aquisições, due dilligences, especialização em arbitragem, auditoria ou planeamento fiscal, trabalhamos com mais clubes, ligas, entidades de gestão, construtores de estádios, organizadores de eventos, parceiros comerciais e investidores que qualquer outra consultora.

Sobre a Deloitte

“Deloitte” refere-se a Deloitte Touche Tohmatsu Limited, uma sociedade privada de responsabilidade limitada do Reino Unido (DTTL), ou a uma ou mais entidades da sua rede de firmas membro e respetivas entidades relacionadas. A DTTL e cada uma das firmas membro da sua rede são entidades legais separadas e independentes. A DTTL (também referida como "Deloitte Global") não presta serviços a clientes. Para aceder à descrição detalhada da estrutura legal da DTTL e suas firmas membro consulte www.deloitte.com/pt/about

A Deloitte presta serviços de auditoria, consultoria fiscal, consultoria de negócios e de gestão,financial advisory, gestão de risco e serviços relacionados a clientes nos mais diversos setores de atividade. Com uma rede globalmente ligada de firmas membro em mais de 150 países e territórios, a Deloitte combina competências de elevado nível com oferta de serviços qualificados conferindo aos clientes o conhecimento que lhes permite abordar os desafios mais complexos dos seus negócios. Os mais de 225.000 profissionais da Deloitte assumem o compromisso de criar um impacte relevante na sociedade.

A informação contida neste comunicado de imprensa está correta no momento do envio à comunicação social.

Para mais informações contacte:

Departamento de Comunicação da Deloitte

Miguel Jerónimo 

mijeronimo@deloitte.pt

Tel: 210 423 064

Filipa Matos

mamatos@deloitte.pt

Tel: 210 423 038

Did you find this useful?