Financial Markets Regulatory Outlook 2021

Recuperar, Renovar, Reconstruir

A avaliação anual do Centro de Estratégia Regulamentar da EMEA da Deloitte explora a forma como as principais tendências regulamentares irão afetar a indústria dos serviços financeiros em toda a EMEA no próximo ano, e como os líderes podem antecipar e responder eficazmente às mesmas.


A edição de 2021 do Regulatory Outlook da Deloitte identifica nove temas intersectoriais de importância estratégica, bem como uma série de outras prioridades de supervisão em cada um dos sectores da Banca e Mercados de Capitais, Seguros e Gestão de Investimentos.

Clique nas caixas abaixo para aceder às nossas previsões para cada tema, ou descarregue o relatório completo.


Temas intersectoriais

Risco de crédito, resiliência financeira e viabilidade do modelo de negócio

À luz da COVID-19, em 2021 as empresas vão tentar gerir as deficiências de crédito, implementar medidas de recuperação, manter a resiliência financeira, e fazer crescer os seus modelos de negócio.

Apelo final para IBOR

A transição IBOR entrou no que deveria ser, na sua maioria, o seu último ano. Continua a existir um risco de transição desordenada, e também é provável que em Janeiro de 2022 vejamos uma multiplicidade de taxas concorrentes no mercado.

Brexit - depois do período de transição

Não é esperado um abrandamento significativo na atividade, uma vez que os supervisores pressionam os bancos a entregar a substância acordada nos planos de autorização. Também se prevê um aumento da pressão de supervisão da UE para que determinadas atividades de compensação migrem para a UE.

Sustentabilidade

O trabalho regulamentar sobre sustentabilidade continuou durante toda a pandemia, uma vez que os reguladores continuam a progredir nas iniciativas de teste de stress relacionado com o clima, ao mesmo tempo que pressionam as empresas a integrar plenamente as considerações dos ESG nos seus quadros de gestão de risco e estratégias empresariais.

Conduta, cultura e gestão

Os supervisores esperam que as empresas promovam culturas que procurem alcançar bons resultados para os seus clientes, mas ao mesmo tempo, as empresas enfrentam uma pressão contínua para gerirem as suas finanças de forma responsável.

Implementar a digitalização e a inovação

As empresas devem ser sensíveis às preocupações de supervisão suscitadas pela rapidez da digitalização, incluindo questões como a resiliência operacional, a conduta e os riscos prudenciais nos pagamentos, bem como a gestão de AI e a gestão de risco.

A criminalidade financeira no “novo normal”

Entre as preocupações de que a mudança massiva para o trabalho à distância tenha alterado ou facilitado materialmente os padrões de criminalidade financeira, a prioridade de supervisão a curto prazo será assegurar que as empresas mantenham quadros robustos de risco e controlo neste "novo normal".

Divergência regulamentar UE/Reino Unido

Há uma série de grandes temas onde sabemos que a abordagem regulamentar do Reino Unido irá divergir da UE no próximo ano. Basileia 3.1, CRD5 e a implementação de Solvência II são exemplos pertinentes.

Resiliência operacional

A atenção da supervisão centrar-se-á em assegurar que as empresas fizeram um balanço das lições aprendidas na primeira vaga da COVID-19, e que estejam preparadas para futuras vagas e perturbações associadas.

Prioridades de supervisão específicas do sector

Prioridades de supervisão específicas do sector

Nesta secção é elaborada uma série de prioridades de supervisão nos sectores dos seguros, investimento, banca e mercados de capitais complementares aos conteúdos nos temas intersectoriais


Aceda à nossa ferramenta de cronologia interativa para uma visão de alto nível dos marcos regulamentares recentes e futuros para a indústria dos serviços financeiros.