Budget Watch 2017

Insights

Observatório da Competitividade Fiscal 2017

Uma Visão Global

Focados no objetivo de contribuir para a obtenção de informações relevantes e objetivas sobre o sistema fiscal português e as suas implicações económicas, retomamos a auscultação periódica que fazemos às maiores empresas a operar em Portugal relativamente à sua perceção no tocante à competitividade fiscal da economia portuguesa.

Neste sentido, apresentamos as conclusões obtidas em mais uma edição do Observatório da Competitividade Fiscal da Deloitte.

  • 65% dos inquiridos considera que a política fiscal adotada pelo Governo não serve como motor
    de desenvolvimento nem favorece a competitividade das empresas portuguesas.
  • A percentagem de inquiridos a considerarem o sistema fiscal português “Complexo e ineficaz” aumenta de 52% para 63%. Paralelamente, diminuiu para 33% (43% no ano 2015) a percentagem de inquiridos que consideram o sistema “Complexo mas eficaz”.
  • 79% dos inquiridos considera relevante ou muito relevante a “Eliminação progressiva da retenção na fonte da Sobretaxa de IRS” enquanto medida constante do OE2017.
  • 48% das empresas apontaram para o “Funcionamento eficaz dos tribunais”, seguido das que destacam a “Legislação laboral” e a “Simplificação burocrática em geral” (ambas com 42%) como as medidas mais importantes para captar / manter investimento em Portugal.
  • Os maiores obstáculos ao investimento em Portugal, de acordo com os inquiridos, são a “Instabilidade do sistema fiscal” (61%), com um aumento significativo de 19 pontos percentuais em comparação com 2015, os “Custos de contexto/burocracia em geral” (55%) e o “Funcionamento da justiça” (51%).

Explore o estudo em detalhe e fique a conhecer as conclusões sobre esta temática. 

Faça download dos anos anteriores do Observatório da Competitividade Fiscal:

Did you find this useful?