Pesquisa

Tax transformation trends

Estudo revela a necessidade de líderes das áreas tributárias reforçarem valor estratégico em um ambiente de transformações

Após os desafios trazidos desde 2020, especialmente com pandemia da Covid-19, as empresas se preparam para um cenário pós-pandêmico reforçando suas finanças, acelerando a transformação digital e a corrida pela sustentabilidade. 

Conforme as organizações mapeiam seus planos de recuperação, elas intesificam também a busca por equipes fiscais capazes de agregar valor estratégico às empresas.

A pesquisa global "Tax transformation trends" entrevistou 304 líderes de áreas tributárias e financeiras de organizações da Europa, América do Norte e Ásia a fim de compreender suas visões sobre o futuro de suas áreas.

Tax transformation trends

Principais destaques:

  • Nos próximos dois anos, as equipes tributárias devem ter os recursos e as habilidades para oferecer uma consultoria mais profunda em modelos de negócios digitais (65%), reestruturação da cadeia de suprimentos (49%), e sustentabilidade (48%);
  • Para garantir que a área tributária desenvolva uma atuação mais estratégica e no ritmo necessário, os líderes têm optado por transferir o compliance e os relatórios para centros de serviços compartilhados, departamentos financeiros e fornecedores de terceirização que investem em tecnologias de ponta;
  • 90% dos entrevistados afirmaram que, nos próximos cinco anos, a mudança nas demandas de autoridade de receita na administração tributária digital terá um impacto (moderado e alto) nas operações e recursos fiscais;
  • A simplificação do gerenciamento de dados e a troca para recursos de baixo custo deve ser priorizada;
  • O conhecimento especializado em impostos permanece essencial, mas as habilidades em dados e em experiência em processos de tecnologia serão competências necessárias para o futuro do departamento tributário;
  • Conforme os líderes desenvolvem um organograma focado no fortalecimento das habilidades essenciais para o futuro, 47% deles afirmam que priorizarão novas abordagens para reconhecer e desenvolver seus profissionais.
Você achou útil?