tendencias-midias-digitais

Pesquisa

Tendências de mídias digitais 

Uma análise sobre os hábitos de consumo

Mesmo antes da crise da Covid-19, os consumidores tinham o costume de testar diversas assinaturas de mídias digitais e streaming. A pandemia acelerou esse ciclo de assinaturas e cancelamentos, aumentando a competição entre os fornecedores – as escolhas feitas a partir de agora podem moldar o futuro do setor.

A 14ª edição da pesquisa global da Deloitte “Tendências de mídias digitais” foi criada em dois contextos: pré e durante a pandemia causada pela Covid-19. No mundo pré-Covid-19 os consumidores estavam experimentando novos produtos e serviços de entretenimento em busca daquele que pudesse trazer mais valor, considerando o custo-benefício. O estudo aponta para uma média de 12 assinaturas serviços de mídia por entrevistado – e com tantas opções de entretenimento, a competição por clientes torna-se cada vez mais árdua.

O levantamento encontrou-se também em um segundo cenário, surpreendido pela crise da Covid-19, para identificar os novos hábitos de consumo frente à necessidade de isolamento social e às dificuldades econômicas advindas da crise. A movimentação de clientes aumentou, especialmente para assinaturas de streaming de vídeo, música e jogos. Com mais tempo disponível, os consumidores adicionaram novos serviços para obter novos conteúdos. 

Ao mesmo tempo, tornou-se difícil cativar clientes – muitos deles cancelaram serviços. A motivação financeira foi uma das principais justificativas, aliada às alternativas gratuitas suportadas por anúncios que fazem com que os serviços de assinatura tenham mais dificuldade em agregar valor. É importante notar que essas plataformas ainda competem com canais tradicionais de televisão e lançamentos de filmes inéditos on-demand.

As previsões continuam incertas para o setor de mídia e entretenimento, mas os executivos devem ficar atentos a oportunidades inesperadas que o momento possa trazer, trabalhando na recuperação das atividades e nos novos hábitos que estão por vir após o período de crise.

Tendências de mídias digitais

Destaques da pesquisa

  • Doze é o número médio de assinaturas de mídia e entretenimento pagas entre os consumidores; 80% dos consumidores vivem em uma casa com serviço de streaming de vídeo (ante 73% antes da Covid-19)
  • 25% dos consumidores planejam assinar mais serviços no próximo ano; 42% são Millennials
  • 40% dos consumidores estão "sobrecarregados" com o número de assinaturas; 17% dos assinantes cancelaram um serviço desde que a crise começou. A redução de de custo foi a principal justificativa para 36% dos respondentes.

Você achou útil?