Pesquisa

Tendências governamentais 2020

Perspectivas de transformações para governos de todo o mundo

Tendências inovadoras expressam como os governos se adaptam às mudanças sem precedentes que estão remodelando o cenário atual. A chave para isso é trazer mais integração na relação público-privada.

Com as constantes transições, os governos precisarão ser mais intuitivos, reconhecer e responder às novas oportunidades trazidas pela tecnologia, além de identificar os desafios sociais e as necessidades dos cidadãos que surgem conforme o passar do tempo.

Conectar e otimizar fluxos de dados e processos são etapas essenciais para encontrar novas soluções. É necessário também aprimorar a segurança e criar experiências cidadãs personalizadas e abrangentes. A transformação exige o afastamento de sistemas e práticas obsoletos, com a substituição por novos modelos adequados à era da inteligência artificial.

A pesquisa global da Deloitte “Tendências governamentais 2020” apresenta nove perspectivas transformadoras para os governos atuais e os potenciais tópicos que podem ajudar líderes a encarar e acompanhar as inovações.

Principais destaques do estudo

1. Governo e a inteligência artificial: a maneira como os governos adotam tecnologias cognitivas, tanto como regulador quanto como usuário, moldará costumes da sociedade e até da geopolítica nos próximos anos. Setor público e privado estão se habituando ao novo panorama.

2. Cidadãos digitais: o aprimoramento da prestação de serviços públicos por meio de uma identidade digital exclusiva permite dados integrados e uma experiência cidadã mais eficiente.

3. Ciência comportamental e governo: à medida que a compreensão sobre o campo da economia comportamental avança e como as pessoas fazem suas escolhas, saber como guiá-las gera melhores resultados e respeito pela autonomia humana.

4. Ascensão dos dados e a ética: os governos desempenharão um papel importante em questões que giram em torno da ética dos dados, não apenas como o “proprietário” de grandes quantidades de informações, mas também como um regulador do uso de dados corporativos.

5. Governo antecipatório: a análise de dados, cenários e simulações permite direcionar prováveis problemas antes que eles surjam, desde detectar fraudes até combater doenças.

6. Cloud como fator de inovação: a tecnologia oferece uma oportunidade de desenvolvimento para países ao viabilizar mecanismos de conexão entre desenvolvedores e usuários, além de ter como base a inovação que se torna um ponto essencial.

7. Aceleradores da inovação: aceleradores, incubadoras e “laboratórios” governamentais fazem parte de uma tendência emergente. Mapeamentos regulatórios permitem inovações privadas com uma maior flexibilidade em um espaço limitado.

8. Cidades inteligentes e serviços públicos: como nas cidades inteligentes, governos integrados, conectados e sustentáveis implementarão tecnologia para atender aos cidadãos de forma colaborativa e abrangente, visando a melhora da mobilidade, cuidados com a saúde e o meio ambiente.

9. Experiência do cidadão: as ferramentas de experiência do consumidor podem ser efetivamente usadas para atender não apenas aos clientes do governo, mas também a profissionais do setor, entidades regulamentadas e negócios.

Você achou útil?