Portuguese Real Estate Investment Survey

Insights trimestrais da Deloitte

O Portuguese Real Estate Investment Survey contempla uma análise à perceção de um painel de participantes que atuam diariamente na indústria de real estate em Portugal, assinalando as principais tendências e entraves ao crescimento do setor imobiliário nacional.

2018

1ª Edição
Hotels boost real estate sector

  • Globalmente, os inquiridos pretendem apostar numa estratégia de investimento (77%)
  • Os investimentos Value Added (39%) assumem-se como a estratégia de investimento preferencial
  • A Banca (85%) destaca-se como a principal fonte de financiamento para aquisições de imobiliário
  • A estratégia de desinvestimento dos inquiridos passa por alienar ativos “Core” (38%)
  • Os Fundos de Fundos (62%) são identificados como os principais compradores de imobiliário em Portugal
  • Perceciona-se um aumento no volume e preços de transação nos setores hoteleiro, residencial e industrial e maior estabilidade nas taxas de rentabilidade

2017

4ª edição
A turnaround for Portuguese real estate

  • Globalmente, os inquiridos pretendem apostar numa estratégia de investimento ou gestão de portfólio (36% cada)
  • Os investimentos Value Added (44%) assumem-se como a estratégia de investimento preferencial
  • A Banca (50%) destaca-se como a principal fonte de financiamento para aquisições de imobiliário
  • A estratégia de desinvestimento dos inquiridos passa por alienar ativos “Core” (50%)
  • Os Fundos Soberanos (50%) são identificados como os principais compradores de imobiliário, em Portugal
  • Perceciona-se um aumento no volume e preços de transação nos setores residencial, comércio/ serviços e hoteleiro e maior estabilidade das taxas de rentabilidade

Aceda aqui ao comunicado de imprensa.

 

Conheça ainda o artigo On the rise, em destaque na nossa revista REflexions, que aborda as principais conclusões da 4ª edição do Portuguese Real Estate Investment Survey.

A este propósito, leia a entrevista de Jorge Marrão, partner e Real Estate Leader da Deloitte ao Jornal de Negócios.

 edição
A positive outlook for Portuguese real estate

  • Globalmente, os inquiridos pretendem apostar numa estratégia de investimento (44%)
  • Os investimentos Value Added (69%) assumem-se como a estratégia de investimento preferencial
  • A Banca e os Fundos Soberanos (38%, cada) destacam-se como as principais fontes de financiamento para aquisições de imobiliário
  • A estratégia de desinvestimento dos inquiridos passa por alienar ativos “Core” (50%)
  • Os Fundos de Fundos (50%) e as Companhias de Seguros (43%) são identificados como os principais compradores de imobiliário em Portugal
  • Perceciona-se um aumento no volume e preços de transação nos setores residencial, comércio/serviços e hotelaria e maior estabilidades das taxas de rentabilidade

    Aceda aqui ao comunicado de imprensa.

A este propósito, leia a entrevista de Jorge Marrão, partner e Real Estate Leader da Deloitte ao ECO.

2ª edição
Core assets take over investment strategy

  • Globalmente, os inquiridos pretendem apostar numa estratégia de gestão de portfólio
  • Os investimentos Core (41%) assumem-se como a estratégia de investimento preferencial
  • A Banca (41%) destaca-se como a principal fonte de financiamento para aquisições de imobiliário
  • Em termos de desinvestimento a estratégia dos inquiridos passa por alienar ativos “Core” (41%)
  • Os Fundos de Fundos (36%) e os Fundos de Pensões (27%) são identificados como os principais compradores de imobiliário, em Portugal
  • Relativamente ao mercado imobiliário português, perceciona-se um aumento no volume, preços de transação e taxas de rentabilidade nos setores residencial, comércio/ serviços e hotelaria

A este propósito, leia a entrevista de Jorge Marrão, partner e Real Estate Leader da Deloitte à Vida Imobiliária.

 

1ª edição
Price increase hits profitability

  • Globalmente, os inquiridos pretendem apostar numa estratégia de gestão de portfólio (38%)
  • Os investimentos Value Added (62%) assumem-se como a estratégia de investimento preferencial
  • Os Fundos de Fundos e a Banca (ambos com 52%) destacam-se como as principais fontes de financiamento para aquisições de imobiliário
  • Em termos de desinvestimento a estratégia dos inquiridos passa por alienar ativos “Value Added” (52%)
  • Os Fundos de Fundos (52%) são identificados como os principais compradores de imobiliário, em Portugal
  • Relativamente ao mercado imobiliário português, perceciona-se um aumento no volume, preços de transação e taxas de rentabilidade nos setores residencial, comércio/ serviços e hotelaria

    Aceda aqui ao comunicado de imprensa.

A este propósito, leia a entrevista de Jorge Marrão, partner e Real Estate Leader da Deloitte ao Jornal de Negócios.

Achou esta informação útil?